• 17 de abril de 2021

Cannabis para o tratamento da insônia: tudo sobre

 Cannabis para o tratamento da insônia: tudo sobre

Arte: Vitalk

É cientificamente comprovado que a planta tem efeitos terapêuticos sobre os neurotransmissores que controlam o sono

Você sabia que a cannabis medicinal pode afetar o sono? Há diversos relatos de tratamentos à base da cannabis para tratamentos condições como epilepsia refratária ou autismo, onde a cannabis influenciou de maneira positiva nas noites dos pacientes, com efeitos quase que imediatos.

Mas será que a cannabis pode ajudar a tratar apenas a insônia? Primeiro vamos entender o que é este distúrbio.

Arte: Vitalk

O que é a Insônia

De maneira bem simplista, como todo mundo deve saber, a insônia é a dificuldade de dormir ou de permanecer dormindo. O distúrbio não é visto pelos terapeutas como uma doença em si. Como a febre, é um sintoma secundário que pode ter inúmeros fatores, que vão desde estresse pós traumático a mudança de horário.

Segundo a Associação Brasileira do Sono (Absono), atualmente cerca de 73 milhões de brasileiros sofrem de insônia. Ela é também a principal queixa entre pessoas que sofrem algum distúrbio do sono, e está a frente até do ronco.

As perspectivas também não são boas, estima-se que 30% a 40% da população terá insônia em algum momento da vida.

Há dois tipos de distúrbio: 

  • Agudo: a característica da Aguda é a dificuldade de dormir devido a uma situação de estresse, como problemas no trabalho, em casa, na família ou situações desagradáveis.
  • Crônico: a crônica não é esporádica, ela atinge cerca de 30% a 50% da população por algum problema relacionado a saúde, principalmente entre os mais velhos, tornando-se caso de saúde pública.
  •   Outros fatores e consequências

Outros fatores e Consequências

Fatores externos também podem influenciar a falta de sono, como o ambiente, eletrônicos, luminosidade, temperatura, barulho, e até algumas razões comportamentais, confira:

Infográfico

Ela pode comprometer a qualidade de vida, afetando o humor, a disposição e até a o desempenho físico e mental. Pode até desencadear consequências graves, como doenças cardiovasculares, depressão, obesidade, hipertensão, ansiedade e fadiga.

Fatores que ajudam a determinar o que pode estar causando as noites em claro é o tipo de insônia. Por exemplo: se ela é inicial, ou seja, se a pessoa demora para pegar no sono, o distúrbio pode estar associado ao estresse e ansiedade. Isso porque o indivíduo está tão envolvido nos problemas que não consegue desvincular a preocupação da sua mente.

Já se ela é caracterizada por despertamentos várias vezes à noite, ela pode estar relacionada à depressão, mas não é um fator determinante.

Há até aqueles que apresentam as duas condições: demoram para dormir, mas acordam várias vezes. Elas podem estar ligadas tanto a insônia crônica quanto a aguda, por isso, é tão importante identificar.

Apesar da mente ficar ligada enquanto dormimos, o corpo precisa de um tempo para recarregar as baterias, quando não dormimos direito o cérebro pode não funcionar como deveria, causando distúrbios de concentração, irritabilidade, sentimento de insatisfação, baixo rendimento profissional, deteriora o convívio social e pode até resultar em acidentes de trânsito.

De acordo com a Absono, 20% dos acidentes ao volante são resultados do cansaço e noites mal dormidas. E 30% das mortes nas rodovias são causados por motoristas que dormem ao volante.

Tratamentos

Tratar a insônia geralmente não envolve remédios. Mas sim com terapias cognitivo-comportamental que estão relacionadas a higiene do sono, técnicas de relaxamento e controle dos estímulos que influenciam o sono.

Um dos motivos pelo qual a cannabis é tão aceita como método alternativo.

Em casos que envolvem alguma condição relacionada à saúde, talvez precise de remédios, como para tratar ansiedade e depressão.

Estudos com cannabis

É cientificamente comprovado que a cannabis medicinal pode ajudar a dormir. Até hoje, vários estudos clínicos são realizados para testar o tratamento alternativo, e as descobertas são sempre positivas. Isso porque a cannabis tem propriedades relaxantes e terapêuticas que diminuem o nível de estresse e ansiedade, causas mais frequentes da insônia.

Em abril de 2020, uma pesquisa publicada no periódico Experimental and Clinical Psychopharmacology, mostrou que a cannabis pode ser eficaz no tratamento da insônia crônica.

O estudo observacional foi realizado na Universidade da Austrália Ocidental com 23 voluntários por 14 noites. Metade deles recebeu uma dose da planta e a outra metade recebeu um placebo, porém ninguém sabia qual havia recebido.

O resultado foi uma melhora de 36% em voluntários que receberam a cannabis.

O estudo mediu os efeitos a partir do Índice de Gravidade da Insônia (IGI), que leva em consideração o tempo total de sono, a sua qualidade, a sensação de descanso no dia seguinte e a hora que as pessoas conseguem dormir.

O autor do estudo e também pesquisador especializado em sono da Universidade, Peter Eastwood, considerou a cannabis como um forte aliado em potencial para tratar o distúrbio, considerando também o baixo percentual de efeitos colaterais.

Há relatos por aí que o CBD pode até curar a insônia, mas nada comprovado cientificamente. Mas o fato é que promovendo a calma e acelerando os processos de recuperação.  

Arte: Unimes

Esta não é a primeira vez que investigam a cannabis para tratar a qualidade do sono, outro estudo publicado no Journal of Psychopharmacology realizado em 2014, que também ganhou destaque, mostrou que o canabidiol (CBD) pode aumentar o tempo do sono e o tetra-tetraidrocanabinol(THC) a sua latência.

Sem contar que também há evidência da ação dos dois elementos, chamados canabinóides na redução de transtorno do estresse pós-traumático, o que consequentemente pode influenciar na hora de ir dormir.

No entanto, a pesquisa também mostrou que o THC pode prejudicar a qualidade do sono a longo prazo. 

No ano passado, um estudo realizado na Universidade da Califórnia em Losângeles (UCL), que buscava investigar os benefícios da planta para estresse pós traumático (TEPT), também percebeu a ação do CBD na saúde das vítimas, o canabinóide se mostrou um forte aliado para amenizar os sintomas, principalmente na hora de dormir.

O CBD mostrou uma influência até nos pesadelos, que diminuíram consideravelmente. Outras evidências já mostravam que os canabinóides THC e CBD agem com tanta eficiência nesta parte do cérebro, que podem influenciar até se você terá sonhos ou pesadelos, além de servir como um inibidor de sonhos ou fazer a sonhar até demais.

Essa novidade sobre o TEPT ainda precisa de mais pesquisas para ter certeza, no entanto, pode se tornar um auxílio para o tratamento no futuro.

Como funciona

As capacidades terapêuticas da cannabis acontecem assim: os canabinóides trabalham através do Sistema Endocanabinóide (SEC), que funciona a nível celular. Ele é responsável por estabelecer uma comunicação entre o cérebro e os processos do organismo, trazendo um equilíbrio aos níveis de substâncias do corpo.

Eles elevam a biodisponibilidade de um neurotransmissor chamado, serotonina, que regula alguns processos do corpo, sendo o sono um deles.

Os canabinóides influenciam também em vários outros neurotransmissores, como a anandamida, dopamina, endorfina entre muitos mais que controlam a fome, o sono, humor, memória e por aí vai. Alguns são considerados também “canabinóides endógenos”, ou seja, canabinóides produzidos pelo próprio organismo.

Como administrar

A primeira coisa que é preciso esclarecer é a causa da insônia. Quando tratamos algo sem saber a origem, mesmo que faça efeito, iremos depender daquilo para o resto da vida.

Feito isso, é preciso entender qual o canabinóide ideal. Por causa da genética única e do Sistema Endocanabinóide de cada um, alguns canabinóides podem não reagir de maneira eficaz, por isso é preciso saber qual o mais adequado.

Em alguns casos o THC pode agravar a insônia. As suas propriedades ansiolíticas junto ao CBD podem ser um forte aliado contra para dormir à noite inteira. No entanto, há situações onde o THC também pode causar ansiedade.

Por isso é importante encontrar um médico que entenda sobre cannabis e prescreve o canabinóide, levando em consideração a patologia, sintomas, histórico clínicoe a dose correta.

Lembrando que a cannabis medicinal no Brasil é bem restritiva. Para fazer a utilização é necessária uma receita médica, e para importar, uma autorização excepcional da Agência de Vigilância Sanitária (ANVISA).

Para entender mais sobre esse processo de acesso a cannabis para fins medicinais, clique aqui!

Avatar

Tainara Cavalcante

Jornalista e produtora de conteúdo no Cannalize. Amante de literatura, fotografia e conteúdo de qualidade.

Mais Notícias