• 19 de outubro de 2020

THC: O que é, Efeitos, Riscos e Formas de Consumo

 THC: O que é, Efeitos, Riscos e Formas de Consumo

Muitas pessoas que já conhecem o mundo canábico, sabem que o THC ou tetra-tetraidrocanabinol é o composto químico da planta cannabis responsável por efeitos eufóricos. Mas o que mais podemos saber sobre o principal componente psicoativo da cannabis?

Seja você novato no mundo da cannabis ou alguém já experiente sobre o assunto e que gostaria de saber um pouco mais sobre o mais famoso canabinoide, provavelmente o THC se tornou um sinônimo de cannabis na sua mente, mesmo que você ainda saiba pouco sobre o assunto.

Mas o que é um canabinoide?

Os canabinoides são compostos químicos encontrados na planta cannabis que interagem com receptores no cérebro e no corpo, causando vários efeitos.

A planta cannabis tem centenas de compostos, boa parte deles são canabinóides. Além do CBD e do THC que muitas pessoas já conhece, outros canabinóides estão ganhando destaque por suas propriedades medicinais.

Os canabinóides encontrados na planta têm diferentes propriedades e efeitos sobre o corpo humano, mas também algo em comum: Todos eles afetam as percepções de dores e a interação com o sistema límbico, que está relacionado a cognição,  memória, ações psicomotoras e a vista mesolímbica, relacionada a sentimentos e reações gratificantes.

Separamos alguns para você conhecer. Caso algum da lista chame a sua atenção, eles estão disponíveis de forma detalhada:

O que é THC?

Desde sua descoberta pelo pesquisador israelita Dr. Rapahel Mechoulam, nos anos 1960, esse canabinoide é o um dos mais conhecidos.

O THC, ou tetrahidrocanabinol, é o produto químico responsável pela maioria dos efeitos psicológicos da cannabis. Ele age de forma muito semelhante aos produtos químicos canabinoides produzidos naturalmente pelo corpo.

O THC se conecta aos receptores de canabinoides concentrados no cérebro e o Sistema Nervoso central para produzir efeitos colaterais.

Os receptores canabinoides estão concentrados em certas áreas do cérebro associadas ao pensamento, memória, prazer, coordenação e percepção do tempo. O THC se liga a esses receptores e os ativa e afeta a memória, o prazer, os movimentos, o pensamento, a concentração, a coordenação e a percepção sensorial e temporal de uma pessoa.

Como os seres humanos (e muitos animais) tem um sistema receptor vinculado ao THC, podemos obter os benefícios desse canabinoide para saúde e prazer.

Esse sistema chamado de Sistema Endocanabinoide é um grupo de produtos químicos de sinalização especializada (chaves), dos seus receptores (fechaduras) e a enzima metabólica que os produzem.

Esses sinais químicos de endocanabinoides agem sobre algumas das mesmas células cerebrais e receptores (CB1 E CB2) que canabinoides vegetais, como o canabinol (CBD) e o tetraidrocanabinol (THC).

Efeitos produzidos pelo THC?

Esse canabinoide tem uma variedade de efeitos a curto prazo que podem ou não ser experimentados dependendo da pessoa.

Por exemplo, enquanto alguns podem julgar que o THC provoca sentimentos fortes de calma e paz, outros podem notar um aumento em níveis de ansiedade.

A diferença pode ser tão simples quanto a química do próprio corpo, mas certas concentrações de THC também podem causar diferenças dependendo de como a pessoa se sente.

Se uma variedade de cannabis provoca sentimentos desagradáveis, outra pode levar a uma sensação de prazer.

O ideal é procurar informações necessárias para encontrar o que é o melhor para você e como sempre é aconselhável começar aos poucos e ir devagar.

Lembrando, o efeito da cannabis pode durar por algumas horas, mas vai desaparecer.

Alguns efeitos curtos de THC incluem:

  • Exaltação;
  • Relaxamento;
  • Sedação;
  • Alivio na dor;
  • Comprometimento da memória;
  • Energia;
  • Fome;
  • Sonolência;
  • Aumento de batimentos cardíacos;
  • Boca seca;
  • Olhos vermelhos;
  • Percepção lenta;
  • Risos;
  • Tontura;
  • Sensação de peso;
  • Ansiedade.

Quais são os riscos e os efeitos a longo prazo do THC?

Existem pequenas evidencias concretas que apoiam as teorias sobre os efeitos a longo prazo de THC.

Pequisas continuam sendo feitas e ainda sem conclusões e, com o tempo algumas das teorias prevalecem e podem ser confirmadas ou podem ser descartadas por completo.

Atualmente pesquisas sobre os efeitos de longa duração do composto sugerem que pode causar alterações anatômicas no cérebro.

Em um recente estudo, pesquisadores descobriram uma ligação entre o alto consumo frequente de THC as alterações anatômicas em uma região do cérebro chamado de corpo caloso, que conecta os dois hemisférios cerebrais.

Usando dados de participantes que relataram seu uso de cannabis, os pesquisadores descobriram que consumidores diários de THC apresentam diferenças no corpo caloso comparado com consumidores que usam ocasionalmente e aqueles que nunca consumiram.

Contudo, as diferenças anatômicas entre consumidores frequentes de cannabis com alto nível de THC e outros grupos não puderam ser associada a psicose.

  • Memória: Um estudo de março de 2016, sugeriu uma diminuição na função cognitiva verbal durante um longo período de consumo consistente de cannabis. A cada 5 anos de uso de cannabis, os participantes perdiam a memória de uma palavra em uma lista de 15 palavras.

Mas esse estudo teve pequenas amostras de usuários de cannabis a longo prazo. Então é difícil saber quais as conclusões sobre isso.

  • Psicoses: apenas uma preocupação para aqueles sujeitos a condições psicóticas como esquizofrenia e outros transtornos, pesquisas descobriram que os sintomas podem se desenvolverem em até três anos mais cedo com o uso de cannabis.
  • Tolerância: O corpo naturalmente constrói uma tolerância a THC. A desvantagem disso é que aumento o nível de consumo para alcançar os efeitos desejados.

Através desses estudos, há poucos riscos conhecidos sobre o do uso a longo prazo do THC

A seguir estão algumas coisas que você não deve se preocupar, com base em pesquisas.

  • Câncer: Não há nenhuma evidência consistente que defende o aumento no risco do câncer com o consumo de THC. Contudo, o fumo deve ser evitado, pois, inalar fumaça pode ser arriscado para a saúde.
  • Overdose: Nunca houve um documentado sobre o risco de cannabis em caso de overdose. Seria praticamente impossível uma overdose fatal.

Quais os efeitos medicinais de THC?

Existem uma variedade de condições que esse composto pode oferecer como benefícios, entre elas são:

Pesquisas de cannabis permanecem em estágios inciais e é muito provável que conforme essas pesquisas continuem ganhando força e aumento com o avanço da legalização, nosso entendimento de como o THC e outros canabinoides podem ser utilizados para o tratamento dessas e outras condições iram expandir.

Quais as diferentes formas de consumir o THC?

Existem inúmeras formas para consumir o THC, a mais comum e óbvia tem sido através do fumo. Descarboxilação (acontece no aquecimento) e é a chave para desfrutar do THC.

Na sua forma bruta a cannabis não é intoxicante sendo o seu canabinoide primário o THCA. Contudo, através do calor, ao acender um tudo ou cozinha em óleo, o THCA é convertido em THC.

Existem muitos jeitos diferentes de apreciar o THC.

Com tanto a ser dito sobre o THC, as informações a cima pode agir como um salto para uma mente, e conforme as pesquisas crescem e expandem, obviamente haverá muito mais para aprender e entender.

THC vs CBD

A diferença entre esses dois canabinodies esta na forma como eles se conectam com os receptores canabinóides presentes em nossos corpos chamados de CB1 e CB2 e os como reagem e afetam o corpo ao se conectarem com esses receptores localizados em nosso Sistema Endocanabinoide.

Para facilitar, é como se cada um desses canabinoides fossem direcionados para cada receptor. Pense nisso como um plugue elétrico conectado a uma tomada na parede.

O THC ou tetrahidrocanabinol pode se conectar perfeitamente com os receptores CB1, causando um efeito de euforia mais conhecido como o famoso “barato” da cannabis.

Já o CBD ou canabidiol se conecta diretamente aos receptores CB2, diferente do THC, ele causa efeitos mais relaxantes, por esse motivo na maioria é usado como um anti-inflamatório para alívio de sintomas de diversas doenças.


Diferente do que muitas pessoas acreditam, o CBD não é intoxicante, ao contrário do THC que na maioria deve ser usado em dosagem controlada com no máximo 0,3% do canabinoide.

Existem outros fatores que diferem esses canabinóides como:

  • O CBD não é uma substância controlada, o THC é;
  • O CBD não vai deixar você chapado, THC se for usado excessivamente sim;
  • Eles têm diferentes arranjos atômicos;
  • O CBD é mais abundante no cânhamo, o THC está em outras formas de cannabis;
  • O CBD derivado do cânhamo é legal na maioria dos países, o THC não.

Algumas pessoas têm equivocadamente rotulado o THC como um “Canabinoide mau” e o CBD como um ” Canabinoide bom”, o que não é verdade, pois apesar de ter efeitos mais fortes do que o canabidiol, quando usado de forma controlada e de acordo com a necessidade o THC pode sim ser benéfico.

Referencias

Bruno Oliveira

Tradutor e produtor de conteúdo do site Cannalize, apaixonado por música, fotografia, esportes radicais e culturas.

Mais Notícias