Cannabis para doenças hepáticas: dá para pensar nisso?

Cannabis para doenças hepáticas: dá para pensar nisso?

Sobre as colunas

As colunas publicadas na Cannalize não traduzem necessariamente a opinião do portal. A publicação tem o propósito de estimular o debate sobre cannabis no Brasil e no mundo e de refletir sobre diversos pontos de vista sobre o tema.

Foto: Freepik

O fígado é a maior glândula do organismo e exerce funções cruciais como armazenar a glicose e dissolver gorduras. Portanto, prevenir-se de doenças que afetam diretamente este órgão é fundamental para manter o corpo humano em funcionamento.

As patologias que afetam o fígado são classificadas como doenças hepáticas. Tratam-se de doenças silenciosas que, a depender do paciente, podem ser percebidas apenas em estágios mais avançados. 

Pensando na expansão dos tratamentos, a cannabis entra como uma possível solução estudada pela ciência. E o motivo é simples: canabinoides são metabolizados pelo fígado, portanto, podem agir diretamente no local. 

Neste texto, explicaremos mais sobre doenças hepáticas e possíveis benefícios da cannabis para o fígado.

O que é doença hepática?

Condições hepáticas são causadas por uma série de fatores que danificam o fígado gradativamente, e se não forem tratadas podem ser fatais. 

Estas patologias podem surgir por causas genéticas e também por causas externas: vírus, bactérias, consumo excessivo de álcool ou de gorduras e substâncias tóxicas, como a nicotina.

Leia mais: Carnaval 2024: Posso beber durante o meu tratamento com CBD?

Exemplos dessas doenças são:

  • Esteatose hepática (ou gordura no fígado);
  • Hepatite viral;
  • Cirrose hepática;
  • Hepatotoxicidade (causada por consumo excessivo de drogas);
  • Câncer de fígado.

É importante destacar que doença hepática e hepatite não são a mesma coisa. 

Hepatites são inflamações causadas por vírus, sendo os “tipos” A, B e C as mais comuns. Boa parte dos casos de hepatite B e C são crônicos, ou seja, podem persistir por toda a vida.

De acordo com o Ministério da Saúde essas infecções podem acarretar em quase 1,5 milhões de mortes por ano e a mortalidade da hepatite C pode ser comparada ao vírus HIV e à tuberculose.

Sintomas das doenças hepáticas

Pessoas que possuem alguma doença hepática podem ter sintomas similares – fadiga, náuseas, pele e olhos amarelados são alguns exemplos.

Além disso, o diagnóstico médico pode ser feito através da tonalidade da urina e também das fezes. Todos esses sintomas variam de paciente para paciente e podem direcionar para um tipo de causa, como é o caso do vírus específico de cada hepatite.

Cannabis para doenças hepáticas

Hoje os tratamentos disponíveis para esse grupo de patologias vão de mudanças de hábito: maior consumo de água e diminuição de bebidas alcoólicas são exemplos. 

Para outros casos, o uso de medicações alopáticas como anti-inflamatórios, antibióticos e antifúngicos podem ser prescritos por um médico. Mas afinal, como pode entrar a cannabis?

Estudos sobre o tratamento com canabinoides para tratar essas condições de saúde ainda não são concretos, porém, algumas evidências podem ser aprofundadas com o tempo.

De acordo o professor especialista em canabinoides, Yossi Tam, da Universidade Hebraica de Jerusalém, os derivados da planta podem ser usados para acelerar o metabolismo. Absorção da glicose e diminuição da gordura no fígado são possíveis benefícios para o fígado.

Leia mais: A cannabis pode reduzir doenças hepáticas, diz pesquisador israelense

O tratamento é possível por conta da presença do Sistema Endocanabinoide, presente em todos os seres humanos e responsável por modular a homeostase. A interação com este sistema começa justamente na metabolização da cannabis que ocorre no fígado, como explicado acima. 

Em sua estrutura existe o receptor CB1, que ajuda no controle do metabolismo e é ativado quando consumimos cannabis. 

Também segundo o pesquisador, um estudo feito em sua universidade analisou a ação do CBG (canabigerol) na tolerância do corpo à glicose e até mesmo para regular os níveis de insulina no corpo. Este estudo foi feito com roedores que, embora não tenham mostrado uma redução significativa nos níveis de gordura, tiveram os níveis de glicose estabilizados.

Também de acordo com um estudo publicado no jornal científico National Library of Medicine, o CBD (canabidiol) pode amenizar os efeitos das bebidas alcoólicas. 

Para chegar nessa conclusão, os pesquisadores fizeram testes combinando o canabidiol, um placebo e bebidas alcóolicas. Os que consumiram CBD com álcool apresentaram índices menores do composto no sangue.

Também pensando na redução dos problemas gerados pelo álcool, uma pesquisa dos Estados Unidos feita entre 2008 e 2019 sugere que após a aprovação de leis estaduais que permitiram o uso adulto da cannabis, houve declínio no consumo excessivo de bebidas por jovens entre 12 e 20 anos. 

Por outro lado, ainda não se sabe como os canabinoides podem frear o consumo excessivo de álcool ou diminuir os efeitos de dependência química.

Começar um tratamento com cannabis

O tratamento com canabinoides está se tornando mais acessível no Brasil ao passo que as legislações vem se tornando menos restritivas. Desde 2015, quando o uso medicinal foi permitido, já são mais de 430 mil pacientes usando a terapêutica

A Cannect é uma healthtech que aproxima pessoas da terapia canabinoide, mediando o contato entre pacientes, médicos ou cirurgiões-dentistas, com marcas e fabricantes.

A empresa brasileira também mantém o Cannect Cuida, um programa de cuidado coordenado que mantém assistência de uma equipe de enfermagem aos tratamentos iniciados pelo serviço. 

Quer saber começar um tratamento com cannabis? Então clique aqui

Sobre as nossas colunas

As colunas publicadas na Cannalize não traduzem necessariamente a opinião do portal. A publicação tem o propósito de estimular o debate sobre cannabis no Brasil e no mundo e de refletir sobre diversos pontos de vista sobre o tema.

Tags: