• 16 de maio de 2022

“Uma das melhores decisões da minha vida” Cauan Madona conta a sua experiência com a cannabis medicinal

 “Uma das melhores decisões da minha vida” Cauan Madona conta a sua experiência com a cannabis medicinal

O atleta de BMX faz uso do remédio há pouco tempo, mas já relata uma melhora nas dores e na qualidade de vida. 

De Taubaté – SP, Cauan Madona é atleta de BMX,  há 14 anos. Com apenas 27, tem representado o país em competições dentro e fora do Brasil, além de ser destaque em todas elas. 

Ele foi o primeiro representante do Brasil nos Jogos Pan-americanos de Lima, no Peru em 2019, na estreia da categoria. Entre os diversos títulos, o atleta é quatro vezes campeão do Arena Banks, que é considerado o maior campeonato de BMX do Brasil.

Contudo, como a maioria dos esportistas profissionais, o corpo de Madona também é levado ao limite e o atleta precisa lidar com dores, hematomas e cansaço. Contudo, o uso constante de remédios o levou a ter problemas nos rins.

Arquivo Pessoal do Instagram

Um esporte arriscado 

 Também conhecido como bicicross, o esporte é bastante radical. Não é incomum que os esportistas caiam e se machuquem ao fazer manobras nas bicicletas. Muitos acabam perdendo um dente ou até fraturando uma costela. 

O esportista estadunidense e medalhista das Olimpíadas de 2016, Connor Fields, por exemplo,  sofreu uma queda na semifinal das olimpíadas do ano passado e teve uma hemorragia cerebral. 

Felizmente ele deixou o hospital cinco dias depois do acidente, mas precisou de reabilitação.

Mas apesar dos riscos, Cauan nunca deixou se abalar. Ele mesmo já rompeu o ligamento do joelho esquerdo e quebrou alguns dentes. 

Óleo de cannabis como alternativa para Madona

Quando o atleta de BMX sofria uma queda, ele tomava pelo menos, quatro remédios para dores ou inflamações por dia. Mas excesso de medicamentos resultou em pedra nos rins.

Foi então que o óleo de cannabis entrou na sua vida. Quem deu a ideia foi uma tia, que trouxe um frasco com o extrato da planta da Argentina. 

Madona nunca teve preconceitos, até porque fez uso recreativo da maconha. “Eu também já tinha visto vários atletas que utilizam o óleo para a recuperação e são até patrocinados por algumas marcas”, ressalta.

Óleo caseiro

Por isso não demorou para aceitar a sugestão da tia em junho do ano passado. A princípio, a compra não era regularizada. O óleo era caseiro e sem receita, ele não tinha rótulos ou a informação sobre a concentração de canabinoides

Ainda assim, o produto o ajudava bastante. As dores foram diminuindo e as inflamações também. “Eu não falava disso, pois o produto era ilegal”, acrescenta.

Isso porque os compostos presentes na cannabis são um anti-inflamatório potente. Além da planta também ser conhecida como eficaz para dores crônicas

Arquivo Pessoal do Instagram

Usado no esporte

Em países onde a cannabis é mais acessível, como nos Estados Unidos, atletas já trocaram o Ibuprofeno pelo canabidiol para tratar dores musculares.

O depoimento do ciclista Andrew Talansky sobre o tratamento alternativo, por exemplo, viralizou e virou assunto da imprensa por um tempo.

Logo outros esportes e ligas como UFC e NBA também começaram a falar sobre o uso do composto por seus atletas.

Recomendação médica

No Brasil, cada vez mais atletas são convidados a experimentar os benefícios da planta para a recuperação física.

Como ele. Há três meses o ciclista começou a ser patrocinado pela Cannect, por isso, começou a ser acompanhado por um médico que o indicou o produto correto. Ele passou a utilizar não só o óleo, mas também cápsulas Full-Spectrum

Trata-se do produto feito com a planta inteira, não apenas o Canabidiol (CBD) ou outros canabinoides

Melhoras

Ele relata que a melhora veio de forma rápida. As dores nas costas sumiram e a disposição aumentou. Madona acrescenta que hoje o seu bem estar melhorou muito, anda menos estressado e mais feliz. 

“Têm sido uma das melhores decisões da minha vida. Hoje não sinto mais tanta dor, só quando estou muito cansado.”

Antes, Madonna já tinha começado a tirar as outras medicações, mas hoje ele utiliza apenas o óleo feito com a planta.

Arquivo Pessoal do Instagram

A importância de falar sobre o assunto

Quando finalmente expôs a sua experiência com o uso do óleo, o ciclista percebeu que o tema precisa ser abordado por mais gente. “Eu recebi muitas perguntas, muitos amigos e conhecidos, muita gente interessada”, disse. 

Por causa da maconha, o tema ainda é visto como um tabu por muita gente. Madona tem receio de falar sobre o assunto com a própria mãe. “Meu irmão é especial e queria que ele fizesse uso do óleo, mas não sei como ela vai reagir”, complementa. 

O atleta acredita que a indústria da cannabis é um negócio que vai crescer no Brasil e se tornar forte e mais conhecido. Ele ressalta que quando as pessoas entenderem os benefícios de verdade, vão se abrir mais. 

 

 

 

Tainara Cavalcante

Jornalista e produtora de conteúdo no Cannalize. Amante de literatura, fotografia e conteúdo de qualidade.

Mais Notícias