• 17 de abril de 2021

Hibisco: O que é, Benefícios, Formas de consumo, Efeitos e Contraindicações 

 Hibisco: O que é, Benefícios, Formas de consumo, Efeitos e Contraindicações 

Muitos usam o hibisco de diversas formas e em diferentes ocasiões. Mas você sabia que essa planta também tem poderes medicinais? Vamos descobrir como isso é possível.

Com origem na África Oriental, foi introduzida no Brasil pelos escravos. Na Europa, foi levada somente no final do século XX, mas não se tornou muito popular no continente devido à sua forte coloração avermelhada. Mas não demorou muito para que os europeus se rendessem aos benefícios, sabor e cor do hibisco.

Essa é uma planta de subarbusto (não têm um único galho, mas vários saindo do solo) ereto e de caule arroxeado. Possui, normalmente, de 80 cm a 140 cm de altura e pertence à família Malvaceae (uma família de angiospermas que possui aproximadamente 765 espécies).

Seu nome científico é Hibiscus sabdariffa, porém, mais conhecido como hibisco, tem poderes medicinais e é bastante consumida. Principalmente para aqueles que querem perder peso.

Essa planta contém substâncias como flavonoides e ácidos orgânicos, que melhoram a saúde e auxiliam no emagrecimento.

A parte mais utilizada da planta é o seu cálice, que possui grande ação diurética e antioxidante, tornando o hibisco bastante conhecido por ajudar a diminuir a retenção de líquido.

Quais os benefícios que o hibisco pode oferecer?

Além de ser muito utilizado no auxílio ao emagrecimento, a planta de hibisco também é consumida por regular os níveis do colesterol, melhorar a saúde do coração, do cérebro, dos rins e do intestino.

Emagrecimento

Acelera o metabolismo, estimula a queima de gordura corporal, previne a retenção de líquidos, facilita a digestão e regulariza o intestino, contribuindo para a perda de peso.

Essas mesmas substâncias ajudam o corpo a se desfazer das toxinas, as grandes vilãs do emagrecimento.

Redução do colesterol

Possui propriedades antioxidantes e é ótimo quando o assunto é redução de colesterol.

Os antioxidantes ajudam a reduzir os níveis do colesterol ruim, protegendo a saúde das doenças cardíacas e também protegendo os vasos sanguíneos do corpo.

Saúde do fígado

Ainda considerando as substâncias antioxidantes da planta, pode ser utilizado para garantir uma proteção a mais para o fígado.

Os antioxidantes presentes na planta podem ajudar a neutralizar os radicais livres presentes nas células e tecidos do corpo. 

Saúde do cérebro

O hibisco possui vitaminas que fazem parte do complexo B, como as vitaminas B1 e B2.

Com a presença desses nutrientes, a planta ajuda o organismo na captação de energia nas células e na manutenção de diversas funções, tais como o metabolismo do oxigênio e da glicose, principais fontes de energia celular.

Isso interfere na ação dos neurônios, na comunicação dessas células entre si e com o resto do corpo.

Saúde do coração

Existem estudos que mostram que os flavonoides presentes no hibisco apresentam efeitos cardioprotetor e vasodilatador, o que ajuda a prevenir doenças cardiovasculares, reduz o LDL (colesterol ruim) e os triglicerídeos.

Chá de hibisco  

A forma mais famosa de consumo dessa planta é o chá de hibisco, que pode ser preparado e ingerido de diferentes formas.

Com o passar do tempo, o objetivo das pessoas ao tomar o chá de hibisco mudou, sendo diferente também em cada região. 

Por exemplo, quando era usado por faraós egípcios, o chá de hibisco servia para refrescar e controlar a temperatura corporal. No Irã, a planta é mais utilizada como calmante e para melhorar distúrbios do sono.

A bebida pode ser feita com a planta in natura (consumidos em seu estado natural), encontrada em lojas de produtos naturais, mas também com os chás de saquinhos, vendidos em lojas de conveniências, farmácias e supermercados.

Efeitos colaterais e contraindicações 

Assim como qualquer outra planta, o hibisco também apresenta alguns efeitos colaterais, aos quais incluem:

Risco de infertilidade: Existem alguns estudos que indicam que o consumo excessivo do chá de hibisco pode interferir nos níveis de estrogênio e em virtude da alteração dos níveis do hormônio, inibe a ovulação gerando infertilidade de caráter transitório.

Mal-estar: É necessário ter cuidado com o efeito diurético que o consumo de chá de hibisco pode causar. A diurese em demasia leva à desidratação, perda de eletrólitos no organismo, como potássio e sódio. Isso pode resultar em alterações na contração muscular, tontura, sensação de fraqueza e até desmaio.

Intensifica efeitos de alguns medicamentos: O consumo da planta pode tanto potencializar quanto reduzir o efeito de alguns medicamentos.

Considerando o efeito diurético, o consumo excessivo pode aumentar o efeito de medicamentos anti-hipertensivos. Porém, existem algumas pesquisas que sugerem o consumo de hibisco na redução do efeito de alguns medicamentos e, mais rápida metabolização de substâncias, como o paracetamol.

Falando um pouco sobre as contraindicações relacionadas ao uso do hibisco, o ideal é não exagerar no consumo do chá, pois pode causar intoxicação. 

Pois como foi citado acima, por causa do seu efeito diurético, o excesso do consumo de chá de hibisco pode levar à eliminação excessiva de eletrólitos importantes, como o sódio e o potássio.

O chá de hibisco é contraindicado para gestantes e mulheres que desejam engravidar, uma vez que pode afetar a fertilidade e os hormônios femininos, em especial o estrogênio.

Para ser usado como um auxiliar do emagrecimento, é preciso que você tenha uma alimentação balanceada e pratique atividades físicas, para conseguir reduzir o peso de forma saudável.

Avatar

Bruno Oliveira

Tradutor e produtor de conteúdo do site Cannalize, apaixonado por música, fotografia, esportes radicais e culturas.

Mais Notícias