• 27 de outubro de 2020

5 condições femininas que a cannabis pode tratar

 5 condições femininas que a cannabis pode tratar

Talvez uma dessas condições já tenha sido a sua, veja como a cannabis pode ajudar.

Os componentes presentes na cannabis podem interagir com o sistema nervoso, imunológico, periférico e influenciar até o nosso humor. Eles funcionam como uma espécie de auxílio, que ajudam a regular a homeostase, ou seja, o equilíbrio de várias funções.

Já falamos aqui de várias vantagens da planta para a saúde de todos, mas agora vamos focar especificamente na saúde da mulher.

Os canabinóides presentes na planta podem agir no nosso cérebro, e auxilia na regularização a mensagem enviada para as glândulas que produzem os hormônios, por exemplo.

Recentemente, estudos também observaram que a cannabis influencia no hipocampo, uma parte que também desempenha um grande papel no controle dos hormônios. Além de promover um fluxo sanguíneo maior no cérebro.

Milhares de mulheres já perceberam os benefícios, tanto, que atualmente, alguns produtos à base de cannabis são feitos pensando na saúde feminina.

Gel de cannabis

Como por exemplo, o gel recém-aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O produto foi desenvolvido para a parte periférica por conta da sua ação analgésica e anti-inflamatória.

Algumas doenças podem trazer alguns desconfortos e até mesmo dores durante as relações sexuais, principalmente em mulheres com endometriose, vaginismo e vulvodínia, condições que já causam dores sem nenhuma atividade.

A parte íntima feminina também possui receptores canabinóides, que podem interagir com os ativos da planta. Isso porque o canabidiol (CBD) é um canabinóide, por isso, a sua ação não é invasiva e nem desconfortante.

A cannabis também tem um poder um tanto quanto afrodisíaco. Ela pode auxiliar em um orgasmo feminino até duas vezes maior.

TPM

Quem é mulher sabe como os sintomas das tensões pré-menstruais podem ser desconfortantes. Eles variam desde irritabilidade e dores de cabeça até náuseas, calafrios e a própria cólica, que pode chegar uns dias antes da menstruação.

Geralmente, para resolver o problema, as mulheres administram um medicamento para cada sintoma. Analgésico para dor de cabeça ou febre, comprimidos específicos para cólica, além do bom e velho chocolate para melhorar o humor.

Mas a cannabis também pode ser uma opção que engloba tudo. Ela já é conhecida por ajudar no alívio de náuseas, dores, depressão e ainda fortalece o sistema imunológico. Por isso, usar estes benefícios para tratar a TPM também vale.

Em países onde a cannabis é mais acessível devido legislação e mercado, é possível achar uma variedade de produtos à base de cannabis que prometem acabar com as cólicas.

A técnica não é recente. No antigo Egito, a cannabis pode ser encontrada em pergaminhos de 2.000 anos A.C. como remédio.

As mulheres egípcias usavam para tratar a tristeza e o mau humor, o que sugere que fosse uma espécie de tratamento para TPM.

Endometriose

Esta é uma doença muito comum no Brasil. Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), 15% das mulheres, ou seja, aproximadamente 7 milhões, sofrem com a doença no país. Isso quer dizer que ela atinge uma a cada seis mulheres em período reprodutivo.

De forma bem resumida, ela acontece por causa de um tecido endometrial que cresce fora do útero, no início do ciclo menstrual, o que resulta em uma inflamação.

O acúmulo de sangue e resto de células endometriais é chamado de endometriose, e pode acontecer por uma variedade de motivos.

Como por exemplo, nunca ter tido um filho, gravidez depois dos trinta, fluxo intenso, longo ou muito curto, anomalias e até medicamentos para evitar abortos espontâneos.

 Nos últimos anos, estudos científicos foram realizados e verificaram que pacientes com endometriose apresentavam uma queda nos receptores do Sistema Endocanabinóide, sistema que ajuda a regular as funções do organismo.

A revista científica Journal of Molecular Endocrinology mostrou que o CBD tem um papel importante nos órgãos reprodutores femininos.

Segundo a publicação, estas substâncias podem regular algumas funções tais como a migração e a proliferação de células do endométrio.

Embora sejam necessários mais estudos sobre a conexão dos canabinóides com o aparelho reprodutor feminino, já sabemos que o CBD tem propriedades analgésicas e anti-inflamatórias, e, portanto, poderia ser utilizado para o alívio de alguns dos sintomas da endometriose.

Endometriose: o que é, causas, sintomas e tratamento com a cannabis

Depressão pós-parto

Segundo uma pesquisa da Universidade de Leeds, no Reino Unido, uma em cada 9 mulheres podem desenvolver depressão pós-parto.  Ela acontece logo após a mãe dar à luz ou depois de alguns meses.

Pode aparecer como uma tristeza, sentimento de desesperança, crises de choro, medo e confusão.

Isso pode acontecer por uma queda acentuada dos hormônios da gravidez, como estrogênio e a progesterona, que acabam alterando o humor.

Outros hormônios produzidos pela tireoide também podem cair, o que faz a mulher se sentir cansada, desanimada e deprimida.

Como dito no começo do texto, a cannabis pode ser uma forte aliada para regular os hormônios. A planta também é conhecida por auxiliar no tratamento da depressão.

O uso da cannabis na depressão pós-parto

Câncer de mama

Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), o câncer de mama é o segundo mais frequente em mulheres no país. Para o ano de 2019 a incidência foi de quase 60 mil casos no Brasil.

Você deve estar pensando: mas a cannabis ajuda mesmo a combater o câncer? Sim, ele está sendo bastante usado para combater os sintomas, além de reduzir as reações provocadas pela quimioterapia.

Sem contar que já falamos aqui também que a cannabis tem força para proteger as células saudáveis ao mesmo tempo que destrói as células cancerígenas

Tainara Cavalcante

Jornalista e produtora de conteúdo no Cannalize. Amante de literatura, fotografia e conteúdo de qualidade.

Mais Notícias