• 25 de junho de 2022

Uso medicinal da cannabis ganha força no Japão

 Uso medicinal da cannabis ganha força no Japão

O governo japonês procura discutir a possibilidade de legalizar a cannabis para fins medicinais no país.

O Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar do Japão se reuniu no último dia 25 para iniciar discussões sobre o levantamento da proibição do uso medicinal da cannabis, para beneficiar pacientes que sofrem de epilepsia refratária. 

Conforme relatado pelo Asahi Shimbun (jornal japonês), o ministério tem como objetivo revisar a lei atual nos próximos meses. Atualmente, a lei japonesa proíbe qualquer posse ou cultivo da planta. 

Conversas diplomáticas

Comparado ao “Grupo dos Sete”, ou os sete países com as maiores economias, que inclui Canadá, França, Alemanha, Itália, Japão, Reino Unido e Estados Unidos, o país asiático tem uma das abordagens mais rígidas para a regulamentação e proibição da cannabis. 

Em agosto de 2021, o ministério japonês publicou um relatório  recomendando ao governo que considerasse seguir o exemplo de outros países para permitir que pacientes usassem cannabis para fins medicinais. 

Cânhamo 

Embora a cannabis seja ilegal, existem alguns cultivadores japoneses que são licenciados para produzir cânhamo, que é usado para criar a shimenawa, uma corda especial comumente usada em santuários. 

Existia um medo de que esses produtores pudessem “inalar, de forma involuntária, substâncias da maconha”. Porém, essa suposição foi refutada quando nenhum teste de urina dos agricultores deu positivo para cannabis em uma pesquisa de 2019. 

Casos 

Embora o entendimento do governo esteja começando a mudar, ainda está claro que o Japão precisa reformular o pensamento aos poucos antes de adotar totalmente a legalização da cannabis. 

Em 1980, o ex-membro da banda Beatles, Paul McCartney, visitou o Japão com menos de oito gramas da planta, o que lhe rendeu uma proibição de 11 anos para retornar ao país. 

Quando o Canadá legalizou a cannabis em 2018, o governo japonês ainda fez uma declaração lembrando aos cidadãos japoneses que moram no país que, mesmo vivendo em um local onde a planta é legal, o uso dela segue ilegal para eles. 

Dados policiais 

De acordo com a Kyodo News, a Agência Nacional de Polícia divulgou dados de que havia 5.482 pessoas pegas em violação da lei de cannabis do Japão (4.537 por posse, 273 por vendas ilegais e 230 por cultivo ilegal).

Arthur Pomares

Jornalista e produtor de conteúdo da Cannalize. Apaixonado por café, futebol e boa música. Axé.

Mais Notícias