• 24 de junho de 2022

Refluxo gastroesofágico: O que é, Causas, Sintomas, Diferenças e Tratamentos

 Refluxo gastroesofágico: O que é, Causas, Sintomas, Diferenças e Tratamentos

4k video footage of a young man suffering from stomach pain on the sofa at home

Provavelmente você já ouviu falar do famoso refluxo ou até mesmo já sofreu algum episódio desse desagradável distúrbio gastroesofágico. Mas vamos entender o que leva isso acontecer. 

Basicamente, refluxo gastroesofágico é o retorno do conteúdo do estômago para o esôfago e em direção à boca, causando dor e inflamação constante da parede do esôfago.

Isso acontece quando o músculo e esfíncteres (músculo que controla a abertura e o fechamento de um determinado orifício) que deveriam impedir que o ácido do estômago saia do seu interior não funcionam de forma adequada.

O nível da inflamação causada no esôfago pelo refluxo depende da acidez do conteúdo do estômago e da quantidade de ácido que entra em contato com a mucosa do esôfago.

Isso pode causar uma doença chamada esofagite, porque o revestimento do estômago o protege contra os efeitos de seus próprios ácidos, mas o esôfago não possui essas características, sofrendo uma sensação desconfortável de queimação muito conhecida, chamada azia.

Por afetar o esôfago , um órgão muito importante para o bom funcionamento do sistema digestivo, os sintomas de refluxo são bastante desconfortáveis e, por isso, é importante que o gastroenterologista seja consultado para que possa ser feita uma avaliação e indicado o tratamento mais adequado.

Principais Sintomas

Os sintomas de refluxo podem surgir minutos ou poucas horas após a alimentação, sendo principalmente notada pela sensação de queimação no estômago e sensação de peso no estômago.

 Outros sintomas comuns de refluxo são:

  • Sensação de queimação que pode atingir a garganta e peito, além do estômago;
  • Arroto;
  • Azia;
  • Indigestão;
  • Tosse seca frequente após comer;
  • Regurgitação dos alimentos
  • Dificuldade para engolir os alimentos;
  • Laringite;
  • Crises de asma ou infecções de vias aéreas superiores de repetição.

Quando dobra-se o corpo para baixo para pegar algo do chão, por exemplo, ou quando a pessoa permanece na posição horizontal após a refeição, como ocorre na hora de dormir os sintomas tendem a piorar.

O refluxo constante pode provocar uma intensa inflamação na parede do esôfago, chamada de esofagite, que, se não for tratada corretamente, pode até levar ao câncer. Veja mais sobre a esofagite.

Sintoma de refluxo ou Sintoma cardíaco

Muitas pessoas confundem- se com os sintomas e não sabem diferenciar refluxo de sintoma cardíaco.

A queimação no peito (pirose) e a dor torácica, típica de quadros cardíacos, podem gerar confusão de sua origem.

Na dúvida, os especialistas sugerem a procura imediata de ajuda médica para avaliar o quadro, já que o diagnóstico dependerá de exames complementares.

Apesar disso, vale ter em mente que na DRGE, os sintomas geralmente são mais leves e duram no tempo (crônico).

Já nas doenças coronarianas, a dor no peito está frequentemente associada à falta de ar e à taquicardia, e é desproporcional aos sintomas antes experimentados.

Refluxo em bebês

Se você é mamãe ou cuida de crianças, sabe que o refluxo em bebês é muito comum e também provoca retorno do conteúdo dos alimentos do estômago em direção à boca, por isso, alguns dos sinais e sintomas que podem indicar esta situação são:

  • Vômitos constantes
  • Sono agitado
  • Dificuldade para mamar 
  • Dificuldade de ganhar peso e rouquidão devido à inflamação da laringe.

Além disso, o bebê pode desenvolver otites de repetição devido à inflamações frequentes das vias aéreas ou até pneumonia aspirativa, devido à entrada de alimentos nos pulmões. Saiba reconhecer os sinais e sintomas de refluxo em bebês.

Possíveis Tratamentos

Mas afinal, existe algum tipo de tratamento para o refluxo gastroesofágico.

De acordo com Ricardo Barbuti, médico-assistente do Departamento de Gastroenterologia do HC-FMUSP.

“O objetivo do tratamento é aliviar os sintomas, tratar lesões da mucosa do esôfago, quando presentes, e prevenir complicações”

 A estratégia terapêutica se baseia em modificações comportamentais (mudanças no estilo de vida), bem como no uso de medicamentos específicos. 

Em casos mais graves, pode ser indicada cirurgia.

É importante saber que o refluxo gastroesofágico é uma doença que pode ser crônica e, em certos casos, requererá monitoramento contínuo.

Assim, todo tratamento se inicia com orientações médicas para mudar a forma de se alimentar, perder peso, cessar o tabagismo, além da adoção de medidas práticas como evitar deitar-se por até 2 horas após as refeições, especialmente entre os pacientes que apresentam sintomas noturnos. 

Além disso, o médico pode sugerir erguer a cabeceira da cama em cerca de 15 cm na hora de repousar e descansar, para evitar os episódios.

Bruno Oliveira

Tradutor e produtor de conteúdo do site Cannalize, apaixonado por música, fotografia, esportes radicais e culturas.

Mais Notícias