Que tal trabalhar como “testador” de maconha no Canadá? - Cannalize
Que tal trabalhar como “testador” de maconha no Canadá?

Que tal trabalhar como “testador” de maconha no Canadá?

Sobre as colunas

As colunas publicadas na Cannalize não traduzem necessariamente a opinião do portal. A publicação tem o propósito de estimular o debate sobre cannabis no Brasil e no mundo e de refletir sobre diversos pontos de vista sobre o tema.​

Embora possa parecer bom demais para ser verdade, os proprietários de uma fazenda de cannabis estão procurando voluntários para testar seus produtos. 

Greg Claroni, gerente geral e coordenador de mídia da Greenherb Farms, disse que uma parte da pesquisa da empresa sobre diferentes cepas de cannabis envolve pessoas testando o que cultivam em sua fazenda em Bouctouche, pequena cidade canadense

“Quanto mais pessoas tivermos, mais específicos poderão ser nossos estudos e resultados”, disse ele. 

Claroni completa dizendo que é um programa de pesquisa sério, mas que quer que as pessoas se divirtam trabalhando com isso também. E que por mais que pareça que estão apenas fumando maconha de graça, a causa é importante e necessária.

Cultivo

O gerente disse que a empresa está cultivando 60 linhagens diferentes para pesquisa de técnicas de cultivo, métodos de processamento e preferências de consumo do cliente.

A pesquisa permitirá que a Greenherb descubra quais cepas são melhores para cada coisa, além da preferência do consumidor, que é onde os voluntários entram. 

“Estamos pedindo aos consumidores que experimentem algumas das coisas que cultivamos e que nos digam o que pensam”. 

Voluntários

Não há limite rígido para quantos voluntários podem fazer parte da pesquisa; a empresa está procurando o maior número de pessoas possível.

Embora a fazenda, localizada na comunidade de St. Joseph-de-Kent, perto de Bouctouche, seja um pouco remota, os donos estão confiantes de que haverá uma mistura de moradores e turistas interessados. 

Cultivo perfeito 

A Greenherb Farms está engajada em um processo de “perfeição” para encontrar as melhores das 60 variedades que crescerão no verão do hemisfério norte, testando-as quanto à resistência ao clima e avaliando a opinião pública. 

Dependendo de quantas plantas forem cultivadas, Claroni afirmou que pode haver até 100 quilos de cannabis na propriedade nessa temporada.

A empresa está prestes a receber uma licença de venda, a partir da qual poderá comercializar seus produtos.  

Tags:

Artigos relacionados

Relacionadas