• 25 de junho de 2022

Produção de cannabis medicinal pode aumentar na Tailândia

 Produção de cannabis medicinal pode aumentar na Tailândia

Devido a algumas restrições que há no sudeste da Ásia , somente as agências estatais são capazes de produzir, importar ou exportar a cannabis. Mas isso está prestes a mudar na indústria local.

Recentemente o gabinete da Tailândia aprovou projetos relacionados à lei de narcóticos do país, que autoriza a produção e a venda privada de cannabis medicinal, o que para muitos é considerado um grande passo no mercado tailandês da planta.

As alterações que foram propostas no mês passado, tiveram pontos positivos no gabinete, mas ainda é necessário que sejam aprovadas pelo Parlamento antes de se tornarem oficialmente lei.

O Estado já se destacou em grandes manchetes por ser o primeiro país do sudeste da Ásia a legalizar cannabis medicinal. Contudo, no comércio, apenas o governo tailandês podia cultivar a planta. Portanto, a indústria era muito limitada e incapaz de ter um avanço maior, que ainda seguia uma série de restrições.

Se a proibição de cinco anos da cannabis do setor privado for profundamente abordada, como muitos prevêem, tudo poderá mudar para a indústria local.

Situação atual da cannabis na Tailândia

Diante das restrições que há atualmente, apenas agências estatais são capazes de produzir, importar ou exportar cannabis para dentro, ou através do estado. Somente o governo ou grupos de agricultores apoiados pelo Estado, ou universidades conseguem ter as licenças de tais práticas.

Além disso, não é fácil solicitar uma nova licença para cultivar a planta, e a data para a solicitação de novas licenças é somente no ano de 2024. O que deixou diversas pessoas frustradas sobre o avanço da indústria.

Referente a esse novo sistema, se for aprovado, pessoas que não residem na Tailândia poderão ter contato com a indústria, eles simplesmente não serão capazes de deter ações que excedam um terço de uma empresa.

Isso quer dizer que , o povo tailandês ainda terá que ser o principal responsável por todas as empresas de cannabis do local, mas outros poderão finalmente se envolver. Agora, os viajantes internacionais também poderão solicitar licenças de importação ou exportação para trazer cannabis para dentro, ou fora do país, a fim de tratar uma doença ou condição.

“Sem dúvidas, a lei promoverá a indústria farmacêutica e aumentará a competitividade, o que será importante para a Tailândia se tornar líder em cannabis medicinal”, explicou o ministro da Saúde Pública Anutin Charnvirakul.

As pessoas que obtiverem licenças agora serão elegíveis para vender ou produzir cannabis, em vez de deixar o poder apenas nas mãos de poucos.

A Tailândia também tirou os extratos de cannabis da sua lista de narcóticos e abriu clínicas para cannabis medicinal.

Embora a planta seja medicamente legal no estado desde 2017, ainda assim demorou um bom tempo para a indústria realmente continuar. A cannabis ainda é um medicamento de categoria cinco na Tailândia, o que quer dizer que a posse da substância pode gerar uma punição de até 15 anos de prisão ou altas multas.

Infelizmente, em alguns países do sudeste da Ásia, o tráfico de cannabis ainda pode ser punido com a pena de morte, portanto, essas medidas ainda são importantes para o povo tailandês. Mesmo somente capacitando a compra e venda de cannabis legal no mercado é um grande passo.

O estado ainda tem uma trajetória percorrer antes de chegar a algo como uma indústria saudável ou uma plena legalização, mas se essa proposta de lei aprovada, o ano de 2021 poderá trazer muitas novas possibilidades interessantes para o uso da planta medicinal no sudeste da Ásia e para a indústria de cannabis medicinal no mundo todo.

Referências

  • High Times
  • Seachat

Bruno Oliveira

Tradutor e produtor de conteúdo do site Cannalize, apaixonado por música, fotografia, esportes radicais e culturas.

Mais Notícias