• 26 de junho de 2022

Novo relatório analisa destruição e legalização de cânhamo 

 Novo relatório analisa destruição e legalização de cânhamo 

A destruição e legalização das plantações de cânhamo são as pautas mais recentes em um novo relatório feito pela New Frontier Data.

Atualmente, um novo relatório da New Frontier Data começou a investigar o número médio de fábricas que são consideradas “quentes” e como o setor estará em um futuro próximo.

Na última quinta-feira (05), a empresa divulgou novos dados sobre as safras e quantas plantas ficaram em destaque ou excederam o limite necessário de menos de 0,3% de THC e precisaram ser destruídas. 

De acordo com os dados da pesquisa, a empresa afirma que a porcentagem média de plantas consideradas quentes nas colheitas de cânhamo nos EUA é de 10,81% (com base em dados entre 2018-2020).

Além disso, a empresa menciona que alguns estados ou não têm mantido registros detalhados de amostragem de THC em safras, ou não estão dispostos a publicar os dados. 

Portanto, a precisão dessas sugestões deve ser aceita com isso em mente. 

Abaixo estão os resultados dos levantamentos feitos nos últimos anos: 

Dados levantados em 2018: 

  • 111.912 acres de cânhamo licenciados
  • 78.176 acres plantados (dados de colheita indisponíveis para 2018).

Dados levantados em 2019:

  • 511.442 acres de cânhamo licenciados
  • 242.565 acres plantados
  • 134.059 acres colhidos.

Dados levantados em 2020:

  • 336.655 acres de cânhamo licenciados
  • 70.530 acres plantados
  • 33.845 acres colhidos.

Segundo os dados, mais de 4 mil acres de safras foram destruídos em 2019 (dos 242.565 acres que foram plantados) porque foram considerados safras quentes. 

Embora as safras em 2020 tenham diminuído, as safras quentes ainda aumentaram, o que levou a um ano ainda mais devastador com 6.234 rotuladas como quentes.

Com base nos números mencionados, a New Frontier Data prevê que, 2021 pode render cerca de 11.675 safras quentes.

Cânhamo e margem de erro 

A New Frontier Data acredita que há uma margem aceitável para permitir que o cânhamo industrial seja usado para fazer fibra.

A organização observa que a safra deste ano será interessante, já que muitos produtores decidiram plantar sementes de cânhamo na China.

Essas cepas em particular geralmente são testadas no limite de 1% de THC ou acima dele. 

No entanto, a genética também desenvolveu fortes talos de cânhamo que podem ser extremamente úteis na produção de fibras. 

Os analistas acreditam que as discussões iminentes sobre a legalização da cannabis em nível federal podem significar novas mudanças nos limites de porcentagem de THC que virão também.

Referências 

  • High Times

Bruno Oliveira

Tradutor e produtor de conteúdo do site Cannalize, apaixonado por música, fotografia, esportes radicais e culturas.

Mais Notícias