• 7 de dezembro de 2021

Maconha ganha destaque e pesa cada vez mais no relatório da Câmara dos EUA

 Maconha ganha destaque e pesa cada vez mais no relatório da Câmara dos EUA

A descriminalização da cannabis está cada vez mais em alta durante os assuntos na Câmara dos EUA. Mas você sabia que nesses últimos meses, mesmo em meio a uma pandemia, a erva tem se tornado um grande destaque durante os debates?

De acordo com os últimos relatos da mídia, a legislação que descriminalizaria a maconha que estabeleceria um imposto sobre as vendas de cannabis estava sendo elaborada pela deputada republicana Nancy Mace com o objetivo de apresentá-la na Câmara dos Deputados dos EUA no final deste mês.

A plataforma de notícias Marijuana Moment informou que o projeto tenta marcar uma medida de compromisso que não seria tão abrangente comparado a outros projetos levantados no Congresso.

Os assessores da deputada Mace não estavam disponíveis para comentar e a plataforma Reuters não confirmou o conteúdo de um projeto de lei em potencial em que ela possa estar trabalhando ou se está perto de apresentar tal projeto.

Cerca de 18 estados dos EUA, mais recentemente Connecticut em junho, assim como o Distrito de Columbia, legalizaram o uso recreativo da maconha. 

Proibida pela Lei Federal

A maconha, que continua proibida pela lei federal, foi aprovada para uso medicinal em 36 estados e no Distrito de Columbia.

Na última sexta-feira (05/11), o site Marijuana Moment informou que um rascunho da legislação da “Lei de Reforma dos Estados” estava sendo distribuído, com uma versão final sendo preparada em semanas.

Os estoques de cannabis avançaram nesta segunda-feira após os relatórios de legislação em elaboração.

De acordo com o Marijuana Moment, a Mace faz parte do titular da Câmara e seu projeto colocaria a regulamentação interestadual da maconha sob a Agência de Comércio e Imposto sobre Álcool e Tabaco, que é uma agência do Departamento do Tesouro.

A Food and Drug Administration dos EUA também teria um papel limitado na regulamentação dos produtos, de acordo com o relatório.

O uso recreativo de cannabis seria limitado a pessoas maiores de 21 anos e, assim como os controles federais sobre o álcool, haveria restrições à publicidade da maconha.

Faltam poucas semanas legislativas nesta sessão do Congresso profundamente dividido e não está claro quanto os legisladores serão capazes de fazer uma vez que as campanhas eleitorais de meio de mandato de 2022 começarem no início do próximo ano.

Referencias

  • Ca.Movies
Avatar

Bruno Oliveira

Tradutor e produtor de conteúdo do site Cannalize, apaixonado por música, fotografia, esportes radicais e culturas.

Mais Notícias