• 27 de outubro de 2020

Indicado por Bolsonaro, Kássio Nunes parece ser favorável ao canabidiol

 Indicado por Bolsonaro, Kássio Nunes parece ser favorável ao canabidiol

Criticado pelos conservadores por não se pronunciar sobre temas polêmicos, o desembargador indicado para o STF disse estar aberto a discussões sobre cannabis

A indicação do desembargador Kássio Nunes Marques para uma vaga no Supremo Tribunal Federal não foi bem vista pela ala bolsonarista e apoiadores. Figuras públicas, como o pastor Silas Malafaias, criticaram a indicação.

 O desembargador, que até agora não se posicionou como um conservador, mesmo com a pressão da ala evangélica, vai ocupar a vaga de ministro de Celso de Melo no STF.

Melo antecipou a sua aposentadoria, e vai estar no supremo até próxima terça-feira (13 de outubro), quando o novo ministro ocupará o cargo.

Mas a indicação de Kássio Nunes não foi vista com bons olhos. Em vídeo, o pastor Silas Malafaia, por exemplo, chamou a decisão de “absurda” e vergonhosa”. Também disse que o novo ministro estará “a serviço do centrão e da esquerda”.

Evangélicos da ala bolsonarista também cobraram uma postura conservadora do indicado, que até agora, não se posicionou sobre pautas como homossexualidade, aborto e valores.

As críticas são principalmente porque Kássio Nunes Marques foi nomeado em 2011 pela ex-presidente Dima Rousseff para integrar a corte do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1) como juiz.

Canabidiol

Esta semana, Kássio Nunes teve uma conversa com a bancada do PSDB no Senado, onde teve a oportunidade de discutir alguns temas. Entre eles, um assunto que está criando uma divisão no congresso: o canabidiol (CBD).

Quem levantou o assunto, foi a senadora Mara Gabrilli (PSDB-SP), que é tetraplégica, paciente e defensora da cannabis medicinal.

Ao invés de lançar uma resposta padrão para desviar os assuntos mais polêmicos, o desembargador disse que o judiciário não deve ser protagonista no assunto, mas que está aberto para conversar sobre o tema e que respeita as decisões do congresso.

Kássio Nunes ainda ressaltou que é legalista e acredita na ampliação dos tratamentos de doenças. Disse ainda, que conhece pessoas que precisam do remédio.

As conversas com o Senado irão acontecer ao longo da semana de forma individual e em grupo.

 

Tainara Cavalcante

Jornalista e produtora de conteúdo no Cannalize. Amante de literatura, fotografia e conteúdo de qualidade.

Mais Notícias