EUA: Senado de Washington aprova PL que impede discriminação por uso de cannabis

EUA: Senado de Washington aprova PL que impede discriminação por uso de cannabis

Sobre as colunas

As colunas publicadas na Cannalize não traduzem necessariamente a opinião do portal. A publicação tem o propósito de estimular o debate sobre cannabis no Brasil e no mundo e de refletir sobre diversos pontos de vista sobre o tema.​

O projeto de lei aprovado impede empregadores de negar trabalho com base em teste de drogas positivo para a erva

Foto: Freepik

Traduzido de High Times

O Senado de Washington aprovou na semana passada um projeto de lei que protegeria os usuários de cannabis da discriminação no trabalho. A medida foi aprovada pela maioria do Senado estadual na quarta-feira (22) e agora avança para a Câmara dos Representantes de Washington. 

De acordo com o projeto de lei, os empregadores seriam impedidos de se recusar a contratar um candidato a uma vaga de emprego com base apenas nos resultados da triagem pré-contratação para uso de cannabis. A legislação não inclui proteção para outras substâncias, então triagens para outras drogas ainda seriam permitidas durante o processo de contratação.

“Tudo se resume a discriminar as pessoas que usam maconha”, disse a senadora estadual Karen Keiser, principal patrocinadora do projeto e presidente do Comitê de Trabalho e Comércio do Senado, em comunicado citado pelo site de notícias online The Center Square. “Para as pessoas que usam uma substância legal, fazer um teste pré-emprego como este é simplesmente injusto e devemos parar com isso.”

“Numa época em que o número de vagas não preenchidas é extremamente alto, não devemos limitar nossa força de trabalho dissuadindo candidatos qualificados”, acrescentou. “Esta legislação abre as portas para pessoas que, de outra forma, nem se candidatariam a um cargo.”

A legislação não se aplica a alguns empregos, incluindo cargos nas indústrias aérea e aeroespacial. A medida também não se aplica a empregos que exigem verificação de antecedentes federais ou autorização de segurança.

Embora o projeto de lei proteja os funcionários em potencial de testes de drogas enquanto se candidatam a um emprego, Keizer observou que o projeto de lei não impede os empregadores de submeter seus trabalhadores a exames de drogas para maconha durante o emprego. 

De acordo com a medida, as empresas ainda poderão demitir funcionários que testarem positivo para cannabis, a fim de manter um local de trabalho livre de drogas. 

Os empregadores também podem submeter os funcionários a um teste de drogas para uso de cannabis após um acidente no local de trabalho ou se suspeitarem que um trabalhador foi prejudicado por cannabis durante o trabalho.

“Se o seu empregador quiser testá-lo toda semana depois de contratado, ele ainda poderá fazer isso”, disse Keizer . “Isso é simplesmente abrir a porta da frente para conseguir um emprego. Porque muita gente que vê que tem que fazer teste de farmácia até para se candidatar, nem se candidata”.

Mercado de Cannabis

O mercado de produtos à base de cannabis é muito promissor, mesmo no Brasil. A Dr. Cannabis oferece um curso introdutório de 40 minutos para quem quer ter mais informações sobre esse setor e suas oportunidades. Custa menos de R$100. Inscreva-se aqui

Tags:

Artigos relacionados

Relacionadas