• 25 de junho de 2022

Estudo mostra que o canabidiol pode inibir os sintomas de epilepsia

 Estudo mostra que o canabidiol pode inibir os sintomas de epilepsia

A pesquisa feita em ratos é brasileiro, ele foi desenvolvido pela USP e mostra a ação da planta no cérebro e nos neurônios.

Em um estudo realizado em ratos geneticamente modificados para apresentar sintomas de epilepsia, o uso do canabidiol (CBD) se mostrou potente para impedir a progressão dos sintomas, além do bloqueio de novas crises.

A pesquisa, realizada na Universidade Pública de São Paulo (USP) de Ribeirão Preto, mostrou uma diminuição significativa na quantidade de crises, além da intensidade delas. A melhora foi observada tanto pelo comportamento dos animais, quanto nos tecidos cerebrais dos ratos, constatando que as ações anormais do cérebro que ativam as crises, foram controladas.

 

Outra análise destacou também que a cannabis pode agir diretamente nos próprios neurônios, modulando diversos processos cerebrais. Isso porque a planta interage com o Sistema Endocanabinóide, um sistema promove o equilíbrio de várias funções do organismo, como fome, humor, sistema imunitário e muitas outras.

 A cannabis já é usada para tratar a doença no Brasil

O canabidiol é um componente encontrado na cannabis que não contém propriedades alucinógenas. Atualmente ele é usado no mundo todo para o tratamento de diversas doenças, como Parkinson, Alzheimer, dores crônicas, e claro, epilepsia.

Hoje a cannabis é conhecida por ser uma das poucas opções de tratamento eficaz para tratar a epilepsia de difícil controle, conhecida por ser resistente à remédios.

A Usp de Ribeirão Preto é a universidade que mais divulga estudos sobre o CBD, à frente de países como Reino Unido e até mesmo, Israel, que descobriu a substância.

Inclusive, foi um brasileiro, o Professor Elisaldo Carlini, da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) que descobriu as propriedades anticonvulsivantes do canabidiol.

Há ainda, muitos outros estudos tanto pré-clínicos quanto clínicos sobre esta relação, além do depoimento das pessoas que aderiram ao tratamento. 

Informações do Jornal da USP

Tainara Cavalcante

Jornalista e produtora de conteúdo no Cannalize. Amante de literatura, fotografia e conteúdo de qualidade.

Mais Notícias