• 24 de junho de 2022

Dipirona: O que é, Benefícios, Efeitos, Vantagens e Desvantagens 

 Dipirona: O que é, Benefícios, Efeitos, Vantagens e Desvantagens 

Como certeza você já ouviu falar ou já fez o uso do famoso dipirona no dia a dia. Mas você sabe de fato para que serve esse medicamento e o porque ele é tão usado? Vamos entender melhor.

O dipirona é um medicamento analgésico, antipirético e espasmolítico, utilizado por muitas pessoas no tratamento de dores e febre, geralmente provocadas por gripes e resfriados, por exemplo.

Esse medicamento pode ser comprado nas farmácias convencionais em forma de gotas, comprimidos, supositório ou como solução injetável, por um preço que pode variar entre 2 a 20 reais, dependendo da dosagem e da forma de uso.

Os efeitos desse analgésico e antitérmico sobre as dores pode ser esperado em 30 a 60 minutos após a administração e geralmente persistem por aproximadamente 4 horas.

Quando usar o medicamento?

Mesmo sendo um remédio que não precise de receita médica, vale lembrar que nenhum medicamento é 100% seguro. Por isso, é importante utilizar o dipirona somente para aliviar sintomas como:

  • Dor de cabeça comum ou tensional;
  • Enxaqueca;
  • Mal-estar da gripe comum;
  • Dor decorrente de traumas;
  • Febre;
  • Dor oncológica;
  • Dor após cirurgia;
  • Dor de origem;
  • Colicas intestinal, renal ou menstrual.

Formas de consumo

Existem formas diferentes de consumir o dipirona, tudo varia de caso para caso, entre essas formas estão:

Comprimido Simples: A dose recomendada para adultos e adolescentes acima de 15 anos é de 1 a 2 comprimidos de 500 mg ou 1 comprimido de 1000 mg até 4 vezes ao dia.  

Comprimido efervescente: O comprimido deve ser dissolvido em meio copo de água e deve-se beber imediatamente após o término da dissolução. O recomendado é de 1 comprimido até 4 vezes ao dia.

Solução oral: A dose recomendada para adultos e adolescentes acima de 15 anos é de 20 a 40 gotas em dose única ou até o máximo de 40 gotas, 4 vezes ao dia. Para crianças, a dose deve-se adaptar ao peso e idade.

Supositório: Os supositórios devem ser aplicados por via retal, da seguinte forma:

  • Manter sempre a embalagem do supositório em local fresco;

  • Caso os supositórios se apresentem amolecidos pelo calor, deve ser mergulhado a e por alguns segundos em água gelada para que voltem à consistência original;

  • Seguindo o picote na embalagem de alumínio deve ser destacar apenas o supositório a ser utilizado;

  • Antes de aplicar o supositório,  as mãos devem ser bem lavadas e se possível,  higienizadas com álcool;

  • Com o dedo polegar e o indicador,  de forma leve, deve afastar as nádegas e introduzir o supositório no orifício anal e de seguida, comprimir suavemente uma nádega contra a outra, durante alguns segundos, para evitar que o supositório volte.

A dose recomendada é de 1 supositório, até 4 vezes ao dia. Se o efeito de uma única dose for insuficiente ou após o efeito analgésico ter diminuído, a dose pode ser repetida respeitando a dose máxima diária.

Solução injetável: A dipirona injetável pode ser usada por via intravenosa ou intramuscular, com a pessoa deitada e sob supervisão médica. 

A dose recomendada em adultos e adolescentes acima de 15 anos é de 2 a 5 mL em dose única, até uma dose máxima diária de 10 mL.

Em crianças e lactentes, a dose recomendada depende do peso.

Efeitos Colaterais

A dipirona é um medicamento que costuma provocar poucos efeitos colaterais. Além da possibilidade de reação alérgica, que é comum a todos os outros analgésicos e anti-inflamatórios do mercado, o efeito colateral mais relatado costuma ser a queda da pressão arterial, principalmente nos pacientes desidratados ou com problemas cardíacos descompensados.

Contraindicações

A dipirona é contraindicada nas seguintes situações:

  • Bebês com menos de 3 meses ou menos que 5 quilos; 
  • Gravidez; 
  • Durante a amamentação; 
  • Histórico de alergia ao medicamento; 
  • Se o paciente tiver alguma doença da medula óssea; 
  • Se o paciente tiver deficiência congênita da glicose; 
  • Se o paciente tiver porfiria hepática aguda intermitente. (distúrbio metabólico raro na produção do heme.

Bruno Oliveira

Tradutor e produtor de conteúdo do site Cannalize, apaixonado por música, fotografia, esportes radicais e culturas.

Mais Notícias