• 16 de agosto de 2022

Consumo de cannabis dispara no Canadá durante a pandemia

 Consumo de cannabis dispara no Canadá durante a pandemia

Como a pandemia da COVID-19 se estende, o consumo da cannabis entre os canadenses está aumentando, segundo um novo estudo. E isso tem causado muitas preocupações.

Um grupo de pesquisadores do Centre for Addiction and Mental Health (CAMH sigla em inglês) com sede em Toronto, conduziu recentemente um estudo que descobriu que pouco mais da metade (52%) daqueles que consumiram cannabis na semana anterior disseram que a consumiam mais do que antes da pandemia.

O estudo foi publicado no site American Society of Addiction Medicine e consistiu em 3 pesquisas conduzidas em maio e junho de 2020.

Os participantes da pesquisa de todo o Canadá foram selecionados a partir de um grupo de mais de um milhão de pessoas mantidas pela tecnologia de pesquisa e coleta de dados.

Crescimento no uso da cannabis

”Sabemos que o fumo de substâncias leva a maiores problemas de saúde, dependência e outros transtornos mentais” disse a autora sênior, Dr.Tara Elton Marshall, Cientista Independente da Instituição de Pesquisas de Políticas de Saúde Mental do CAMH.

O Dr.Sameer Imtiaz, cientista projetor da CAMH, disse que “o aumento significativo no uso da cannabis faz com que os especialistas anti-dependência fiquem preocupados com o desenvolvimento de hábitos de consumo que podem persistir além da pandemia, como a dependência de cannabis”

”A chance de alguém se tornar viciado ou dependente de cannabis depende de outros fatores sociais”, disse o Dr. Ariel Fuenzalida, professor no departamento de sociologia e antropologia da Carleton University. 

”Onde existe qualquer tipo de grande estresse ou qualquer mudança na condição de vida de alguém, particularmente uma mudança negativa, isso pode abrir porta em direção a um tipo de uso mais viciante de cannabis ou qualquer outro tipo de substância”, acrescentou ele.

Os autores do estudo de CAMH também especulam que o uso entre os consumidores de cannabis pode ter aumentado após o início da pandemia por uma variedade de razões, incluindo o isolamento social, tédio, mudanças nas rotinas diárias, estresse e ansiedade sobre o futuro.” 

”Consumir cannabis com mais frequência tem sido associado a vários resultados de saúde, como problemas mentais, problemas cardiovasculares, acidentes e chances de mudanças na estrutura cerebral,” disse Imtiaz.

Ao mesmo tempo, existem também alguns efeitos positivos no consumo da cannabis. Isso inclui ajuda com artrite, controle da dor e muitas outras condições, observou Fuenzalida. 

”Todas essas coisas são positivas de certa forma. Acho que só depende de como as tratamos (as drogas) como sociedade e de como as rotulamos” acrescentou ele.

O estudo feito pela CAMH também percebeu que para pessoas que usam cannabis, as diretrizes recomendam que as pessoas não fumem maconha, mas usem produtos com menores porcentagens de THC e limitem seu uso de cannabis ao uso ocasional, mas somente quanto for necessário.

Venda de cannabis

Os canadenses estão comprando mais cannabis agora do que antes. 

De acordo com as estatísticas, houve um crescimento significativo desde janeiro de 2020 a dezembro de 2020 nas vendas mensais de varejistas de cannabis em todo o Canadá.

Ontario viu o maior aumento. A província registrou U$37 milhões em vendas mensais em Janeiro de 2020 e um  crescimento durante o ano inteiro que chegou a U$95 milhões em vendas mensais em dezembro, durante a segunda onda da pandemia.

Esses dados se correlacionam com o estudo da CAMH, que relatou que os residentes de Ontário estão entre os grupos com maior risco de aumento do consumo de cannabis. 

Economia e disparidades sociais

Ser capaz de identificar os problemas sociais que acompanham o aumento do uso de cannabis é importante, alertaram os autores do estudo. 

”E necessario que os clínicos e autoridades de saúde pública em todo o Canadá, estejam cientes da situação, disse Imtiaz.

”A rapidez com que alguém recupera o senso de normalidade e se sua situação de vida e nível socioeconômico determinará seus níveis de consumo”, disse Fuenzalida. 

”Todos nós passamos por estresse no último ano ou mais.E este é definitivamente um dos motivos pelos quais vemos o aumento nos números.” acrescentou ele. “

Referência

  • Capital Current

Bruno Oliveira

Tradutor e produtor de conteúdo do site Cannalize, apaixonado por música, fotografia, esportes radicais e culturas.

Mais Notícias