• 25 de junho de 2022

Tudo o que rolou na 6ª edição da Expo Head Grow

 Tudo o que rolou na 6ª edição da Expo Head Grow

O evento, ou melhor, o festival aconteceu no último dia 04 de junho, em Itu, e contou com os principais nomes do cenário canábico do Brasil. 

A 6ª edição da Expo Head Grow foi um verdadeiro sucesso. Com uma estrutura montada no meio do belíssimo Parque Maeda, em Itu, interior do estado de São Paulo, o evento conseguiu unir o business, o uso adulto e medicinal da cannabis, com um clima de festival digno de Lollapalooza. 

0

O tamanho e organização da Expo foram de impressionar. Com um bom espaço destinado ao evento, foi possível distribuir bem os stands de expositores, o palco musical, o palco para palestras e a praça de alimentação.

A feira foi mais que apenas um lugar onde os players do mercado canábico foram para mostrar seus produtos. 

Ingresso e facilidade de acesso

A lineup de show, por exemplo, estava recheada de boas atrações. Alguns nomes conhecidos como Akira Presidente, Mato Seco, entre outros, tocaram no palco principal, localizado bem no centro do festival. 

Com atrações de peso do meio artístico, os ingressos, vendidos a 80 reais (inteira), cobraram um preço justo. 

O acesso ao evento talvez tenha sido o principal ponto de atenção. Apesar de ser em um lugar lindo, cercado de árvores, a chegada não era tão “democrática” assim. Só dava para chegar de carro.

Mas é de se entender, visto que a feira estava parecendo a Califórnia. Aquela “neblina” boa. Adivinha, doutor, quem “tá” de volta na praça? 

Importância de um evento como esse no Brasil 

Como já foi dito, parecia realmente que o evento estava rolando na Califórnia, no Uruguai ou em Portugal… Não só porque as pessoas estavam queimando um tranquilamente (quem sabe um dia), mas pelo respeito que todas as áreas tinham umas com as outras. 

Empresários do meio medicinal, donos de Head Shops, imprensa canábica e simpatizantes do tema todos juntos na mesma direção. 

No evento, a Cannalize teve a oportunidade de conversar com algumas pessoas, que comentaram sobre a importância de um evento como esse no nosso país.

Para Alexandre Biasi, CEO da Medical Hemp Brasil, essa união de todas as áreas é o que fará o processo de legalização caminhar. 

“No passado, eu tive uma Head Shop, hoje eu sou do rolê medicinal, porém é muito importante, pois mostra a pacificação e a união dessa galera. Os estereótipos que as pessoas criam não são verdadeiros. Aqui tem negócio, tem trabalho, tem dedicação, então é muito importante ter esse tipo de evento”. 

A educação é a maior estratégia de redução de danos

A junção de ideias, diferenças de opiniões e, o mais importante, o respeito entre todas as vertentes é fundamental para que a educação sobre o tema e a “palavra” da maconha seja repassada. 

Alice Reis, fundadora da Girls in Green, comentou sobre como um festival como esse pode servir de acesso à informação. 

Para ela, ter um espaço como esse, de discussão e debate sobre o mundo da cannabis, é muito importante na longa caminhada para a mudança do pensamento sobre o tema. 

“Se a gente puder fornecer educação, puder trocar ideias e ensinar, eu acho que poderemos transformar a realidade que a gente se encontra hoje”, completou.

Arthur Pomares

Jornalista e produtor de conteúdo da Cannalize. Apaixonado por café, futebol e boa música. Axé.

Mais Notícias