• 27 de outubro de 2020

Paquistão aprova indústria da cannabis e cânhamo 

 Paquistão aprova indústria da cannabis e cânhamo 

A planta conseguiu conquistar o seu espaço no Paquistão depois que o país decidiu permitir a produção comercial e doméstica de cannabis medicinal e de cânhamo.

O cânhamo, pelo menos por enquanto, será cultivado em um Herbal Medicine Park, com sede na região de Jhelum. 

“A aprovação veio do Gabinete, através da primeira licença para  uso industrial e médico de cânhamo. Não há dúvidas de que essa decisão histórica ajudará a introduzir o Paquistão no mercado de bilhões de dólares americanos de CBD”, disse o ministro da Ciência e Tecnologia, Fawad Chaudhry, através das redes sociais. 

O que pode ser considerado um grande avanço para o país, pois ajudará a entrada no mercado de canabidiol (CBD), se tornar participante ​​nas indústrias de cânhamo e ganhar parte da renda gerada através desse mercado. 

Para que isso acontecesse, foram necessárias muitas deliberações entre os departamentos governamentais. Mas a esperança agora é que o setor gere renda para a comunidade.

O plano do Paquistão para entrar no mercado

Inicialmente, o plano é importar sementes de cannabis específicas para o cultivo contendo o canabidiol, que pode ser usado para fins medicinais e permitir que as plantas contenham apenas níveis legais de THC, cerca de 0,3% ou menos. 

Com isso, o país se manterá dentro da conformidade legal no mercado e poderá ingressar na indústria de CBD. 

As sementes de cânhamo serão utilizadas para a produção de óleo, folhas para remédios e até fibras de cânhamo para ajudar a substituir o algodão. 

“Os compostos encontrados no CBD têm um papel importante na medicina terapêutica. Depois do ano de 2016, uma pesquisa inovadora mostrou benefícios promissores, fazendo com que a China criasse um departamento de pesquisa de cannabis e agora está cultivando cânhamo em 40.000 acres, e o Canadá está cultivando em 100.000 acres ”,  disse Chaudhry aos repórteres em um entrevista sobre a decisão de entrar na indústria.

“É possível perceber, que no mundo todo, essa fibra está substituindo o algodão. Roupas, bolsas e outros produtos estão sendo feitos com a fibra dessa planta. Este é um mercado de bilhões de dólares e o Paquistão pode ter uma grande fatia desse mercado ”, acrescentou Chaudhry.

Apesar das restrições no Paquistão, com base no fato de que a cannabis contendo THC ainda é ilegal, o ministro e o restante do parlamento esperam obter bons rendimentos da indústria de CBD. 

A expectativa é que em um período de 3 anos, o mercado de cânhamo gere cerca de US $1 bilhão em receitas para o Paquistão, à medida que diferentes áreas, considerando cultivo e produção, pesquisa e exportação de cannabis medicinal se tornem uma realidade.

Grande parte do cânhamo será cultivado na região de Potohar, que fica no norte de Punjab. O clima do local funciona bem para o cultivo de cânhamo ao ar livre. 

No geral, esse plano faz parte do ministério da ciência para aprimorar os produtos baseados em práticas agrícolas não tradicionais que valem a pena desenvolver. 

Apesar de ainda ser cedo para saber como será a indústria da cannabis no Paquistão, este é um grande passo à frente na indústria de CBD e será interessante ver o que está por vir. 

Referências

 

  • High Times

Bruno Oliveira

Tradutor e produtor de conteúdo do site Cannalize, apaixonado por música, fotografia, esportes radicais e culturas.

Mais Notícias