• 20 de outubro de 2020

Os rumos da cannabis medicinal no Brasil este ano

 Os rumos da cannabis medicinal no Brasil este ano

As novas medidas estão cada vez mais abrindo espaço para uma legislação de cannabis no país.

Depois da autorização da venda de produtos nas farmácias, a indústria de cannabis ficou mais otimista em relação ao país e já começou a investir

Uma empresa canadense fechou parceria com a brasileira Prati Donaduzzi, que foi autorizada a vender um produto de cannabis no Brasil. A parceria aconteceu depois que a medida da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), permitindo a venda de produtos à base de cannabis, entrar em vigor no começo de março.

 A Brains Bioceutical Corp, que já abastece CBD na Europa, agora também vai fornecer material para a empresa brasileira. Ela ressaltou que tem o aval para fabricar ingredientes de grau farmacêutico, uma vez que o Canadá e os Estados Unidos são conhecidos por fornecer suplementos e outros tipos de produtos à base de cannabis, que tem regulação diferente.

As novas medidas estão cada vez mais abrindo espaço para uma legislação de cannabis no país.

O produto não chega a ser um medicamento, será considerado um fitofarmacêutico. Isso porque a ANVISA declarou que os testes clínicos e estudos científicos são insuficientes para virar medicamento. O produto à base de canabidiol (CBD) tem um prazo de cinco anos, depois disso, deve apresentar testes clínicos e se tornar um medicamento.

No país, só é permitido um remédio à base de cannabis, o Metatyl foi aprovado em 2017 e precisa ser importado com autorização judicial.

Treinamento sobre cannabis

O país é visto de fora como um potencial mercado da planta, e muitos estão interessados nisso. De acordo com o DataSenado, 87% da população do país conhece os benefícios da planta e 75% aprovam a produção medicinal, mas isso não parece ser o suficiente.

Por isso, uma empresa colombiana decidiu dar um pequeno salto no Brasil. Através de uma parceria com a distribuidora de produtos médico hospitalares Medlive, vai atuar em mais de 3 mil consultórios, clínicas, hospitais e centros médicos públicos e privados que a brasileira gerencia, para ensinar sobre a cannabis.

A proposta é desenvolver atividades de educação médica, marketing e vendas nas unidades, a fim de treinar os profissionais sobre os benefícios e ajudá-los a prescrever cannabis. A previsão é para começar já no terceiro trimestre deste ano.

Tainara Cavalcante

Jornalista e produtora de conteúdo no Cannalize. Amante de literatura, fotografia e conteúdo de qualidade.

Mais Notícias