• 17 de abril de 2021

O uso de cannabis e a diminuição de licenças de trabalho

 O uso de cannabis e a diminuição de licenças de trabalho

Uma nova pesquisa feita pelo National Bureau of Economic Research sugere uma conexão entre a legalização da cannabis e um declínio nas reivindicações dos trabalhadores.

O estudo, conduzido por uma equipe de pesquisadores da William Paterson University, Temple University, da University of  Cincinnati-Blue Ash e RAND Corporation, examinou os efeitos das leis estaduais sobre o uso recreativo da cannabis e sobre o recebimento de benefícios de compensação dos trabalhadores (WC) entre adultos de 40 a 62 anos. 

“A cannabis tem se tornado cada vez mais legal nos Estados Unidos. Nós estudamos os  efeitos das recentes leis estaduais que legalizam o uso recreativo da cannabis na capacidade de trabalho, na habilidade de produzir em empregos remunerados, e também entre trabalhadores mais velhos em idade produtiva“, escreveram os pesquisadores na  introdução ao estudo.

 “Contamos principalmente com o recebimento de benefícios do Workers’ compensation (WC) como um sinal de capacidade de trabalho diminuída. Os benefícios do WC são recebidos quando os indivíduos ficam feridos ou doentes durante o expediente e precisam de um tempo de afastamento das funções para se recuperar. Além de fornecer uma medida útil da produtividade e capacidade de executar as funções, os ferimentos ocorridos durante o expediente representam custos substanciais para a economia nacional”. 

Eles descobriram que o recebimento de indenização dos trabalhadores vem diminuindo em resposta à adoção, tanto em termos de propensão a receber benefícios quanto no valor do benefício. 

“Estimamos reduções complementares nas taxas de acidentes de trabalho não traumáticos e na incidência de deficiências que limitam a execução das atividades”, escreveram eles.

 “Oferecemos evidências de que o principal motivador dessas reduções é uma melhoria na capacidade de trabalho, provavelmente devido ao acesso a uma forma adicional de terapia de controle da dor.”

Os resultados de seu estudo encontraram um declínio percentual de 0,18% na propensão ao benefício da compensação dos trabalhadores, relataram eles “corresponde a uma redução de 20,0%, depois que os estados legalizaram a cannabis recreativa para adultos.

”Esses resultados não são impulsionados por tendências pré-existentes, e os exercícios de falsificação sugerem que a observação de estimativas dessa magnitude é estatisticamente rara,” escreveram eles. 

Em conclusão, os autores disseram que os resultados ” sugerem benefícios muito importantes para os trabalhadores mais velhos e para a sociedade em geral.”

“De maneira geral, mostramos melhorias não triviais na capacidade de trabalho, que representamos com o recebimento de benefícios e várias outras métricas em nossa análise de mecanismo, entre adultos mais velhos”, disseram. 

“A capacidade de trabalhar provavelmente traz benefícios positivos para os próprios trabalhadores, devido a melhora na capacidade de ganho, saúde geral e satisfação com a vida. Os trabalhadores mais velhos correm um risco elevado de deixar o mercado de trabalho devido a problemas de saúde. Mantê-los ativamente engajados em empregos remunerados pode ter repercussões positivas para a Previdência Social e pode reduzir os custos para os empregadores que terão custos reduzidos.”

Acessibilidade e legalidade da cannabis 

À medida que mais estados adotam a legalização, surge um crescimento no corpo de pesquisas, examinando seus efeitos sobre as questões trabalhistas.

No último outono, um estudo descobriu que trabalhadores canadenses que usam cannabis não tinham maior probabilidade de sofrer acidentes de trabalho. 

O levantamento, que veio através dos pesquisadores da Universidade de Toronto, revelou que não existe nenhuma evidência que os usuários de cannabis experimentaram taxas mais altas de acidentes de trabalho.

A pesquisa foi, de acordo com os autores, “o maior estudo transversal de base populacional entre o uso de cannabis no ano passado e lesões relacionadas ao trabalho.”

“Descobrimos que os trabalhadores que disseram usar cannabis mais de uma vez no ano passado não estavam mais propensos a relatar ter sofrido uma lesão relacionada ao trabalho no mesmo período de tempo em uma grande coorte da população trabalhadora canadense.” escreveram.  

Referências

  • High Times
Avatar

Bruno Oliveira

Tradutor e produtor de conteúdo do site Cannalize, apaixonado por música, fotografia, esportes radicais e culturas.

Mais Notícias