• 17 de abril de 2021

Líderes do estado de Nova York concordam em legalizar a cannabis recreativa 

 Líderes do estado de Nova York concordam em legalizar a cannabis recreativa 

NEW YORK, NY – AUGUST 05: A man prepares to smoke K2 or “Spice”, a synthetic marijuana drug, along a street in East Harlem on August 5, 2015 in New York City. New York, along with other cities, is experiencing a deadly epidemic of synthetic marijuana usage including varieties known as K2 or “Spice” which can cause extreme reactions in some users. According to New York’s health department, more than 120 people visited an emergency room in the city in just one week in April. While the state banned the ingredients used to make K2 in 2012, distributors have switched to other ingredients and names in an attempt to circumvent the law. (Photo by Spencer Platt/Getty Images)

Muitos nova-iorquinos estão empolgados com a possibilidade da cannabis se tornar totalmente legalizada na região. Mas existem alguns pontos importantes para que isso se torne realidade. 

O governador Andrew Cuomo, a líder da maioria no Senado de Nova York Andrea Stewart-Cousins ​​e o presidente da Assembleia Estadual Carl Heastie anunciaram na noite do último sábado (27/03), que a legislatura estadual concordou em apresentar e votar em projetos de lei esta semana que permitirão o uso recreativo de cannabis regulamentado para adultos maiores de 21 anos.

A legislação também criaria um expurgo automático ou uma nova sentença para qualquer pessoa com uma condenação anterior por maconha.

Em declarações divulgadas na noite de sábado, o governador, Stewart-Cousins ​​e Heastie disseram que trabalharam muito para garantir que as novas regulamentações ajudassem a economia do estado, garantisse o uso seguro de cannabis e abordassem as leis de drogas antiquadas.

De acordo com a Lei de Regulamentação e Tributação de Cannabis/Maconha do Estado de Nova York, o porte de até três onças de maconha será legal.

A legislação criará o Escritório de Gerenciamento de Cannabis que regulamentará a venda e distribuição de maconha recreativa e medicinal, que foi legalizada no ano de 2014.

Um conselho de cinco membros conduzirá o cargo, sendo três membros indicados pelo governador e um indicado por cada casa da legislatura, de acordo com a legislação.

Os cidadãos também terão permissão para cultivar maconha em casa, com um limite de três plantas maduras para adultos com mais de 21 anos e seis plantas maduras por família.

O gabinete do governador disse que até 60 mil novos empregos poderiam ser criados como resultado das novas leis.

Uma questão de justiça

“Legalizar a maconha para adultos não é apenas criar um novo mercado que irá fornecer empregos e beneficiar a economia, é também uma questão de justiça para as comunidades que durante muito tempo foram marginalizadas e queremos garantir que aqueles que foram injustamente penalizados no passado terão agora um chance de se beneficiar “, disse Cuomo em um comunicado.

O uso de maconha entre motoristas será proibido. O Departamento de Transporte do estado pesquisará metodologias e tecnologias para a detecção de direção prejudicada por cannabis e elaborará um teste para detectar a presença de cannabis em motoristas, disse o gabinete do governador.

Embora os municípios possam optar por não receber dispensários de varejo ou licenças de consumo no local, eles não podem optar por não aceitar a lei de legalização em todo o estado, de acordo com a legislação.

A pressão para legalizar a maconha durante a sessão legislativa deste ano veio depois que eleitores em cinco estados , incluindo a vizinha Nova Jersey, aprovaram medidas eleitorais de 2020 para mudar suas leis sobre a maconha. 

A legislatura estadual da Virgínia também aprovou um projeto de lei em fevereiro que legalizaria a maconha no estado. 

Referências

  • abcnews
Avatar

Bruno Oliveira

Tradutor e produtor de conteúdo do site Cannalize, apaixonado por música, fotografia, esportes radicais e culturas.

Mais Notícias