• 16 de agosto de 2022

How to Change Your Mind vai mudar sua cabeça sobre psicodélicos

 How to Change Your Mind vai mudar sua cabeça sobre psicodélicos

A Netflix lançou recentemente uma nova série documental chamada How to Change Your Mind, baseada no livro de Michael Pollan com o mesmo título. 

Em seus quatro episódios, Pollan explora o potencial de medicamentos psicodélicos como LSD, psilocibina, MDMA e mescalina para tratar uma variedade de condições de saúde mental, desde TOC, depressão e vício.

Como esta será a primeira vez que muitas pessoas serão expostas ao novo mundo dos medicamentos psicodélicos – ou, como Pollan o chama, o Renascimento Psicodélico – é importante contextualizar a série. 

Histórias reais 

Para aqueles novos no assunto do uso de psicodélicos no tratamento de saúde mental, How to Change Your Mind é uma masterclass ao mostrar o potencial dos medicamentos psicodélicos.

Ao longo de quatro episódios, mais de uma dúzia de pessoas que estavam na “corda bamba”, desesperadas para mudar de vida, são apresentadas aos espectadores. 

Cada um relata suas lutas em detalhes de forma bem sentimental. Então, com um olhar de admiração em seus rostos, eles contam a Pollan como suas vidas foram transformadas por uma experiência psicodélica guiada. 

As histórias, desmembradas em quatro partes, dão esperança de que a ajuda está chegando para milhões de pessoas que sofrem – muitas vezes em silêncio – com transtornos mentais debilitantes.

Essas histórias – geralmente animadas com belas artes – fazem de How to Change Your Mind um dos documentários mais interessantes da Netflix.  

Nem tudo são flores…

Há um grande problema com essa adaptação do trabalho de Michael Pollan. Ao mostrar apenas as histórias de sucesso, depois de assistir aos quatro episódios, um espectador casual pode ficar com a impressão de que os medicamentos psicodélicos são uma panaceia.

A terapia psicodélica envolvendo compostos como psilocibina, MDMA, LSD e mescalina ajudou a curar muitas pessoas lutando contra seus demônios. Mas eles não funcionam em todos. 

Muitas vezes, mesmo nos ensaios mais bem-sucedidos, a terapia assistida por psicodélicos ajuda apenas um terço das pessoas.

Arthur Pomares

Jornalista e produtor de conteúdo da Cannalize. Apaixonado por café, futebol e boa música. Axé.

Mais Notícias