• 26 de junho de 2022

Homem sentenciado a 90 anos por tráfico de cannabis é liberado na Flórida

 Homem sentenciado a 90 anos por tráfico de cannabis é liberado na Flórida

Richard Delisi, atualmente com 71 anos, foi liberado da prisão onde cumpre uma pena de 90 anos por crime não violento.

 
Como uma onda de legalização continua a se espalhar pelo país, mais e mais estados estão voltando e tentando consertar os erros cometidos contra os membros da comunidade durante a guerra às drogas.

 

Um dos mais afetados é Richard Delisi, que foi condenado a 90 anos de prisão por cannabis

 

Durante seu tempo na prisão, a sua esposa faleceu, assim como seu filho e seus pais. Sua filha estava doente e ele sentia muita falta da família. Agora, aos 71 anos, ele foi liberado da prisão da Flórida depois de ficar atrás das grades por 31 anos.


Isso o tornou o prisioneiro de cannabis não violento com mais tempo de prisão nos Estados Unidos.

 

DeLisi perdeu muito de sua vida por estar atrás das grades. Ele perdeu o nascimento dos netos, que acabou de conhecer pela primeira vez, assim como a morte de muitos dos seus familiares, e os primeiros anos de vida adulta. Contudo, em vez de ser apenas amargo e ressentido, ele fica feliz por ser livre.

 

“Sou um ser humano abençoado, um sobrevivente,” disse ele em uma entrevista por telefone à Associated Press após sua liberação da prisão.

 

“A prisão me mudou. Nunca soube quem era Deus e agora eu sei e isso muda a maneira que converso e trato as pessoas.” disse DeLisi, que se tornou um mentor de prisioneiros mais  jovens. “Para mim, estando lá por tanto tempo, eu fui capaz de levar membros de gangues a cavaleiros.” Acrescentou ele.

 

Sentença de DeLisi

A sentença de DeLisi foi muito severa, apesar de ser um infrator não violento , porque ele foi acusado de tráfico, não somente posse. No entanto, a sentença por tráfico em 1989 costumava ser de 12 a 17 anos.

 

Ele acredita que foi traçado por ser Italiano e que o juiz pensou que ele fazia parte de uma organização criminosa por causa de suas raízes em Nova York. Embora ele admita que era traficante de cannabis, ele nega qualquer envolvimento com o crime organizado.

 

Apesar de alguns ficarem zangados e amargos por causa de tudo isso, DeLisi é inflexível em não se apegar ao medo e aproveitar ao máximo o seu tempo de liberdade. Ele até tinha uma boa atitude por atrás das grades.

 

Ele era analfabeto quando ele foi para a cadeira, e usou seu tempo na prisão para aprender a ler.

 

Ele também quer trabalhar como um ativista, agora que foi liberado, para tentar fazer a diferença e mudar o sistema que o aprisionou por tanto tempo. DeLisi trabalhou com a The Lasp Prisoner Project para ajudar a acabar com seu tempo atrás das grades e também tem um site dedicado a sua causa.

 

Muitos estão acompanhando o caso e estão indignados com a forma como DeLisi foi tratado. Chiara Juster, que cuidou do caso, chamou a sentença original de “ uma acusação doentia contra nossa nação.”

No total, a família de DeLisi teve que desembolsar mais de 250 mil dólares em honorários advocatícios e 80 mil dólares em ligações enquanto ele estava na prisão.

 

Contudo, eles não querem o dinheiro de volta, eles apenas querem seu membro da família em casa, e agora, eles querem ver a mesma justiça realizada em toda a nação.

 

A liberdade de DeLisi, o prisioneiro de cannabis com a pena mais longa, está se tornando um ponto simbólico para a nação que está lentamente, mas certamente deixando o estigma contra a cannabis. 

Referências

  • High Times

Bruno Oliveira

Tradutor e produtor de conteúdo do site Cannalize, apaixonado por música, fotografia, esportes radicais e culturas.

Mais Notícias