• 16 de agosto de 2022

História da cannabis invade teatro de Nova Iorque

 História da cannabis invade teatro de Nova Iorque

Com direito a música, dança e diálogo e até imagens projetadas, a peça é uma linha do tempo sobre a história da planta e todas as suas consequências.

O teatro La Mama Experimental, em Nova Iorque, colocou em cartaz uma nova peça com um tema bastante curioso:  Chamada de Cannabis! A Viper Vaudeville, o concerto é uma linha do tempo que conta a história da cannabis e a sua evolução no mundo. 

A obra fala sobre injustiça, proibicionismo, cultura, preconceito, a mudança de pensamento dos últimos tempos e até das perspectivas do futuro. 

Foto: Teatro La Mama

Inspirada no livro Smoke Signals: “A Social History of Marijuana – Medical, Recreational, and Scientific”, de Martin Lee, a trama percorre a história através de grandes nomes do mundo canábico, como  Louis Armstrong e Bob Marley, além de ativistas como Dennis Perron e Brownie Mary.

A peça, que mistura música, diálogo e imagens projetadas, fala da planta desde quando passou a ser usada na China e na Índia, passando pela Europa, a proibição nos Estados Unidos, a contracultura juvenil até chegar na legalização que temos hoje em alguns países.

Sobre o concerto

Escrita por Baba Israel, a obra ainda enfatiza a questão do racismo estrutural em torno da planta que ainda é forte em muitos lugares.

O concerto também conta com a dramaturgia e co-direção de Talvin Wilks , Nic Benacerraf atuando como designer de ambiente e diretor associado.

Sem contar com o coletivo Soul Inscribed atuando no hip hop e um conjunto de dançarinos que inclui membros das revolucionárias Urban Bush Women – Courtney Cook, Chanon Judson e Mame Diarra (Samantha) Speis e Tatiana Barber.

A obra de arte é patrocinada pelo Instituto Cannabis Education and Research (CERI), Dr. Bronner’s e The Living Theatre.

Tainara Cavalcante

Jornalista e produtora de conteúdo no Cannalize. Amante de literatura, fotografia e conteúdo de qualidade.

Mais Notícias