• 17 de abril de 2021

Ex-astro de beisebol abre empresa de cannabis

 Ex-astro de beisebol abre empresa de cannabis

17 May 2007: Atlanta Braves outfielder Andruw Jones at bat against the Washington Nationals at RFK Stadium in Washington, DC. The Nationals defeated the Braves 4-3 to take the four-game series three games to one. ***** For Editorial Use Only *****

E mais uma vez o universo canábico traz novidades. Dessa vez foi no meio do esporte, através de um jogador de beisebol que embarcou no setor.

Por cinco vezes All-Star da Major League Baseball (MLB), Andruw Jones atualmente é proprietário de uma empresa de cannabis, de acordo com o site Atlanta Business Chronicle.

A princípio, a empresa Fytiko Farms (empresa e marca do jogador), que também opera na Oklahoma, planeja produzir óleo de cannabis com baixas doses de THC para pacientes medicinais na região da Geórgia.

A cannabis permanece ilegal no estado, mas o óleo medicinal é permitido, desde que contenha um quantidade abaixo de 5% de THC.  

“Todos sabem como este negócio está evoluindo na Califórnia. Queremos iniciar com isso primeiro em nosso estado e esperançosamente, próximo ao mês de abril podemos começar a crescer no mercado “ disse Jones ao site Atlanta Business Chronicle. 

“Quanto mais opções naturais tivermos, melhor seremos como país” argumentou Jones.

A empresa é co-fundada com Joe Dan Rogers, um antigo ex-goleiro da NFL para o Atlanta Falcons. 

Andamento da empresa

Segundo o site Fytiko Farms, a empresa tem uma licença para cultivar 100 acres de cânhamo em Oklahoma e se candidatou a uma Licença de Produção de Óleo de Classe 2 com pequenas quantidades de THC na Geórgia.

Entre as principais ligas esportivas, a MLB tem algumas das políticas mais progressistas no que diz respeito à cannabis. Como considerar a planta em sua tratativa da mesma forma que o álcool, por exemplo.

No passado, em um memorando, a liga alertou os jogadores que eles não farão mais testes de cannabis, mas aqueles que comparecerem ao trabalho com indícios de que usaram substâncias terão repercussões.

“Apesar de os canabinoides naturais não serem mais considerados substâncias proibidas pelos Programas de Drogas da MLB, ainda existem restrições e riscos associados ao seu uso, posse e distribuição de maconha e outros canabinoides naturais”, esclareceu o memorando.

Referências

  • The growth op

 

Avatar

Bruno Oliveira

Tradutor e produtor de conteúdo do site Cannalize, apaixonado por música, fotografia, esportes radicais e culturas.

Mais Notícias