• 16 de agosto de 2022

Estrela do basquete tem prisão prorrogada na Rússia

 Estrela do basquete tem prisão prorrogada na Rússia

Brittney Griner, uma das grandes atrações do basquete feminino, tem prisão prorrogada por mais dois meses. Recentemente, ela foi presa por portar óleo de cannabis. 

 

O mundo do basquete vem sofrendo um grande drama. No dia 7 de março, a estrela norte-americana Brittney Griner foi detida em solo russo por carregar um óleo canábico em sua bolsa. 

Havia expectativa de que a atleta fosse solta, mas não foi o que aconteceu. 10 dias depois de sua prisão, a bicampeã olímpica sofreu uma ampliação da pena por mais dois meses. 

Segundo as autoridades locais, a decisão se deu para uma melhor investigação do caso. 

A TASS, agência de notícias estatal russa, confirmou que o tribunal de Khimki (cidade próxima de Moscou), determinou a detenção da jogadora até o dia 19 de maio. 

Entenda o caso 

 

A atleta Brittney Griner foi detida pela polícia russa, ainda no aeroporto, por carregar um produto com cannabis em sua mala de mão. 

Presa desde o começo do mês, a jogadora foi à Rússia em seu período de férias na WNBA (Associação Nacional de Basquete Feminino), para atuar em um clube do país. 

Essa situação é recorrente na sua carreira, visto que, é algo que costuma fazer desde 2015. 

O óleo portado por Brittney, apesar de legal nos Estados Unidos, não é permitido no território russo. A punição, nestes casos, costuma ser bem rigorosa. 

Veja mais sobre o caso no link abaixo: 

Clique aqui! 

Revolta 

O episódio gerou muita repercussão nos Estados Unidos. Tanto que algumas pessoas influentes se posicionaram sobre a prisão de Brittney. 

O deputado do estado do Texas, Colin Alred, por exemplo, mostrou indignação sobre o ocorrido, em entrevista à ESPN: 

Sei que a administração está trabalhando duro para tentar ter acesso a ela e tentar ser útil aqui. Mas, obviamente, também está acontecendo no contexto de relações muito tensas. Eu acho que é realmente incomum que não tenhamos acesso a ela de nossa embaixada e nossos serviços consulares”. 

Na época da prisão, Antony Blinken, secretário de estado norte-americano, garantiu que o governo está focado na soltura da atleta: 

“Sempre que um americano é detido em qualquer lugar do mundo, é claro que estamos prontos para fornecer toda assistência possível, e isso inclui na Rússia”.

Gustavo Lentini

Jornalista e produtor de conteúdo da Cannalize. Apaixonado por futebol e pela comunicação.

Mais Notícias