• 27 de junho de 2022

Espanha pode regularizar o uso medicinal da cannabis ainda este mês

 Espanha pode regularizar o uso medicinal da cannabis ainda este mês

O Ministério da Saúde precisa aprovar o texto até o dia 28. Embora o uso adulto não esteja incluso, quase metade dos espanhóis defendem a maconha também. 

Ontem (21), o parlamento espanhol aprovou um relatório que pode garantir uma regulamentação sobre o uso da cannabis para uso medicinal no país. A proposta visa regularizar a cannabis para doenças como esclerose múltipla, epilepsia e até câncer.

A ideia foi aprovada por meio de uma subcomissão criada especialmente para avaliar o tema. Contudo, ela precisa ser validada pelo Ministério da Saúde da Espanha até o dia 28 de junho. 

Depois da data, a pasta terá até seis meses para colocar o projeto em prática, sem a necessidade de uma lei para isso. 

Com a decisão, o país trilha o mesmo trajeto dos seus países vizinhos, como Alemanha, Portugal e Itália. 

Regras para ter o acesso 

De acordo com o texto aprovado pela maioria dos políticos da comissão, o projeto pretende contemplar pacientes com “esclerose múltipla, algumas formas de epilepsia, náuseas e vômitos derivados de quimioterapia, endometriose, dor oncológica e dor crônica não oncológica (incluindo dor neuropática)”.

O documento ainda diz que o tratamento também poderá ser alternativa para outras condições quando as “evidências forem comprovadas”. 

Assim como no Brasil, as pessoas só poderão ter acesso mediante a uma receita médica, mas preferencialmente feita por “especialistas da área”.

Por outro lado, também propõe a capacitação médica. 

Uso recreativo

Embora a proposta só englobe o uso medicinal, há partidos e políticos que querem colocar o uso recreativo dentro do pacote, mas a discussão não foi tão longe. 

De acordo com uma pesquisa realizada em abril deste ano, 90,1% dos espanhóis defendem a legalização do uso medicinal e 40,7%, o uso adulto.

Tainara Cavalcante

Jornalista e produtora de conteúdo no Cannalize. Amante de literatura, fotografia e conteúdo de qualidade.

Mais Notícias