• 16 de agosto de 2022

Com produção de cânhamo paralisada, Ucrânia deixa de consumir e exportar

 Com produção de cânhamo paralisada, Ucrânia deixa de consumir e exportar

Foto: Reprodução

O país exporta cerca de 57% do cânhamo produzido. Contudo, a guerra pode trazer o aumento do mercado ilegal e a falta de medicamentos feitos com a planta.

Embora a guerra ocorra apenas entre Rússia e Ucrânia, as consequências do conflito impactam indiretamente o mundo inteiro, o que fez subir os preços de insumos como petróleo e trigo. 

 A Ucrânia, por exemplo, é o quarto maior exportador, passando até dos Estados Unidos. Para se ter uma ideia, os dois países em guerra juntos são responsáveis por 30% das exportações globais.

Mas outro mercado também ficou abalado após a invasão Russa: o mercado de cânhamo

Foto: Reprodução

Exportação de cânhamo pela Ucrânia

Trata-se de uma derivação da cannabis sativa com 0,3% de Tetrahidrocanabinol (THC), componente que gera os efeitos alucinógenos. 

Ela geralmente é usada para a fabricação de remédios, óleos e suplementos. As suas fibras também podem ser aproveitadas para a confecção de tecidos, cordas e até plástico. 

Embora a Rússia seja um pouco mais conservadora se tratando de cannabis, a Ucrânia tem uma produção agrícola forte. O país exporta mais da metade do cânhamo produzido para várias outras nações. 

Exportação de cânhamo para os Estados Unidos

Desde o início da crise política, com a anexação da Crimeia pela Rússia em 2014, países como os Estados Unidos passaram a importar o cânhamo produzido pela Ucrânia para ajudar o país, que buscava ajuda do fundo monetário internacional. 

“Nós estamos concentrados agora em tentar descobrir formas por meio das quais poderíamos ser capazes de usar nos EUA sementes de cânhamo industrial criadas na Ucrânia”, disse o secretário de Agricultura na época, Tom Vilsack.

Sem regulamentação

Com vários países criando leis sobre a cannabis, a população e mesmo o governo se empenharam em uma regulamentação para o uso medicinal e industrial.

Houve até uma Marcha Pela Liberdade da Cannabis, para legalizar tanto o uso medicinal quanto recreativo. Em 2019, uma pesquisa nacional ainda mostrou que 65% dos ucranianos eram a favor do uso medicinal. 

No entanto, as mudanças foram consideradas pequenas, se comparadas ao cultivo e exportação forte. Atualmente, o país permite receitas médicas de produtos derivados da cannabis, que estão à venda nas farmácias. 

Mesmo sem uma regulamentação, os cidadãos podem cultivar até 10 plantas para uso pessoal.

Foto: AFP

Produção paralisada

O cânhamo é uma indústria antiga no país, que perpetua desde a década de 1950. Durante a era soviética, a Ucrânia também foi um dos principais cultivadores não só do cânhamo industrial, mas também da cannabis com níveis maiores de THC.

Contudo, por causa da guerra iniciada no final de fevereiro, a maioria da produção agrícola do país foi paralisada, e o cânhamo não ficou de fora. 

Mesmo antes da invasão do mês passado, especialistas já avaliavam um aumento do mercado negro com a interrupção abrupta da produção na Ucrânia.

Além da indisponibilidade de medicamentos, conforme destacou o site High Times. 

Centro de ajuda humanitária

Mesmo com prejuízos, empresários ucranianos se juntaram para ajudar aqueles que precisam de ítens básicos, como comida e produtos de higiene. 

A empresa Ukrainian Hemp do setor, até criou uma lista de suprimentos, para que pessoas do mundo inteiro possam ajudar os ucranianos, além de disponibilizar um armazém para receber as doações e fazer a logística.

Tainara Cavalcante

Jornalista e produtora de conteúdo no Cannalize. Amante de literatura, fotografia e conteúdo de qualidade.

Mais Notícias