• 16 de agosto de 2022

Cannabis como pré-treino: entendendo o hype

 Cannabis como pré-treino: entendendo o hype

Foto: Freepik

Muito se fala dos efeitos anti-inflamatórios da cannabis, capazes de auxiliar na recuperação muscular pós-treino. É um fato que a cannabis beneficia diversos fatores envolvidos na performance esportiva, como sono, ansiedade e dores osteomusculares.

Mas como explicar o crescente uso dos produtos à base dessa planta como um possível suplemento pré-treino?

O que exatamente é um suplemento pré-treino?

No mundo da medicina esportiva, o pré-treino é aquele suplemento consumido no período anterior ao treinamento que, em tese, aumenta a energia e atua como um estimulante, otimizando a rotina de exercícios físicos. 

Cafeína, taurina, beta-alanina são alguns dos suplementos mais estudados com esse objetivo.

Muitos corredores, principalmente ultramaratonistas que têm uma rotina de treinamento e competições extremamente intensas, têm utilizado um outro composto, porém, como parte de seus treinamentos. 

É o caso do Avery Collins, conhecido como “Runner High”, um dos ultramaratonistas mais rápido do mundo, que usa produtos à base de cannabis em sua rotina física para melhorar a performance e aumentar a resistência nos treinos e provas de longa distância.

Como a cannabis pode ser útil

E esse consumo antes dos treinos tem sido cada vez mais frequente, sobretudo em atletas de endurance, como corredores, triatletas, ciclistas, nadadores, que apresentam uma alta demanda física e mental. 

É exatamente nesses dois pontos que a cannabis pode se portar como um bom pré-treino.

O canabidiol (CBD), principal fitocanabinoide não psicoativo da planta, permitido inclusive pela WADA (Agência Mundial Antidoping), reduz os sintomas de estresse e ansiedade – que são as maiores causas de um mal rendimento físico – e alivia a tensão osteomuscular.

 Dessa forma, utilizar o CBD antes do treino pode aliviar a tensão e o estresse acumulado nas articulações e grupos musculares, ajudando na fluidez e precisão dos movimentos físicos. 

Além disso, por ter ações ansiolíticas, o CBD produz um relaxamento mental que auxilia na melhora do desempenho cognitivo, aumento energia, foco, atenção, memória e funções cognitivas – que é essencial para quem almeja um bom rendimento esportivo.

E o THC?

Já os fitocanabinoides psicoativos, os famosos tetraidrocanabinóis (THC), como o delta-9 e o delta-8-THC, podem criar um efeito similar ao “runner’s high”, o barato da corrida, quando usados antes do treino. 

Isso se deve ao fato de o THC ser uma molécula muito similar à anandamida, o endocanabinoide implicado nesse efeito. 

Assim, o THC em baixas quantidades antes dos treinos, pode produzir no corpo uma sensação de euforia e relaxamento, diminuindo a percepção subjetiva de esforço e aumentando o foco durante a sessão de treinamento.

Outros canabinoides

Outros fitocanabinoides também têm sido estudados como impulsionadores de energia. 

É o caso do canabigerol (CBG) que tem gerado uma série de estudos para comprovar seu efeito clínico de aumento da energia e do foco, similar ao da cafeína, tanto para atividades físicas, quanto para atividades mentais.

O hype por trás da cannabis como pré-treino é tão real que as marcas de cannabis têm apostado cada vez mais em diferentes produtos e formas de uso para entregar suplementos capazes de melhorar a performance dos atletas intra-treino. 

Diferentes formas de administração

Atualmente, além dos óleos e tinturas sublinguais, há uma aposta nas gummies e cápsulas, com uma mistura de fitocanabinoides e outras substâncias estimulantes, que podem ser consumidas mais facilmente. 

Lembrando que o ideal é sempre procurar um médico que atue em conjunto com a sua equipe de medicina esportiva e adeque sua suplementação com cannabis à sua rotina de vida diária e seus treinos.

 

Jessica Durand

Médica graduada pela Universidade Cidade de São Paulo, pós-graduada em Medicina Esportiva pelo Instituto Vita e em Cannabis Medicinal pela Unyleya. Possui certificação internacional em terapias à base de cannabis pela Green Flower. Atleta amadora, enxerga na prática clínica o potencial da cannabis medicinal na qualidade de vida e bem-estar dos pacientes, com foco especial em praticantes de atividades físicas e atletas amadores, semiprofissionais ou profissionais. Compõe o núcleo de medicina esportiva da Gravital, atuou como consultora de assuntos médicos do Atleta Cannabis.

Mais Notícias