• 28 de junho de 2022

Brasil pode faturar R$26 bilhões com a cannabis 

 Brasil pode faturar R$26 bilhões com a cannabis 

Canopy Growth

O relatório calculou o valor para os próximos quatro anos a partir de uma possível regulamentação da planta. 

Mesmo com uma provável volta do Projeto de Lei 399 à Câmara dos Deputados, a aprovação do texto na última terça-feira (8) na Comissão Especial deixou os investidores do setor com bastante expectativas.

Isso porque além de regularizar o uso farmacológico da planta no Brasil, a proposta também visa o uso industrial do cânhamo, uma variação da cannabis bastante utilizada na fabricação de têxteis, plásticos, cosméticos, cordas e muito mais. 

 Foi pensando neste mercado promissor que a Forbes divulgou hoje (11) a estimativa do mercado brasileiro da planta, que de acordo com a análise da empresa Kaya Mind, pode movimentar R$ 26,1 bilhões em quatro anos.

Foto: Canopy Growth

O levantamento também mostra que uma legislação sobre o tema poderia gerar 117 mil empregos e R$8 bilhões em impostos. 

A consultoria de dados se baseou nas taxas cobradas no Brasil, onde 30% do valor arrecadado com produtos farmacêuticos poderiam virar imposto; 6,7% da agricultura e uma taxa superior a 40% de taxas para o uso adulto.

6 milhões de beneficiados

O relatório também levantou o número de pacientes que poderão ser beneficiados diretamente com a regulamentação. Considerando o uso cada vez mais comum para uma variedade de comorbidades como epilepsia, Alzheimer e dores crônicas, um total de 6 milhões de vidas poderiam ser impactadas.

 Segundo Maria Eugênia Riscala, CEO da Kaya Mind, o número de solicitações para a importação e renovação das licenças cresceu 2.009% desde que foi aprovada em 2015.

Só nos primeiros quatro meses de 2021, foram registrados mais de 8.920 pedidos. Contudo, com preços altos, é inacessível para boa parte da população.

Muitos brasileiros acabam recorrendo à judicialização, para obter a cannabis medicinal pelo Sistema Único de Saúde (SUS), pelos convênios médicos e até o plantio individual. 

Uso recreativo?

Contudo o cálculo foi feito visando todas as formas de uso, inclusive o  uso adulto. Opção que não está prevista no projeto de lei em andamento. 

Mesmo descartando o uso recreativo,a proposta 399 só foi aprovada em uma votação apertada, que precisou ser desempatada pelo relator do projeto Luciano Ducci (PSB-PR). Mesmo assim, a oposição diz que vai recorrer. O que só mostra que o uso adulto ainda é uma realidade distante. 

Contudo, segundo a CEO da empresa à Forbes, é otimista em relação aos números. “De todo modo, a exploração internacional também é recente, e grande parte dos marcos regulatórios que fizeram começar a girar a roda do mercado legal pegaram tração rumo a seu potencial absoluto agora.”

Tainara Cavalcante

Jornalista e produtora de conteúdo no Cannalize. Amante de literatura, fotografia e conteúdo de qualidade.

Mais Notícias