• 17 de agosto de 2022

Amazon anuncia apoio ao Projeto de Lei sobre a descriminalização da maconha nos EUA

 Amazon anuncia apoio ao Projeto de Lei sobre a descriminalização da maconha nos EUA

A empresa já tinha se manifestado sobre  a liberação do uso da cannabis à nível federal em outras ocasiões. 

Nesta quarta-feira (26), a gigante do mercado Amazon, anunciou o seu apoio ao projeto de lei da deputada republicana pela Carolina do Sul, Nancy Mace, sobre a descriminalização federal da maconha nos Estados Unidos. 

O anúncio foi feito através do perfil de políticas públicas da empresa no Twitter. “Temos o prazer de endossar a Lei de Reforma dos Estados da @RepNancyMace. Acreditamos que é hora de reformar a política nacional de cannabis e a Amazon está comprometida em ajudar a liderar esse esforço”, escreveu.

A publicação acompanhava um link de um texto da Forbes sobre a proposta de lei da deputada. Mace ainda conta com o apoio dos deputados republicanos Tom McClintock (Califórnia), Don Young (Alaska), Brian Mast (Flórida) e Peter Meijer (Michigan).

Sobre o Projeto de Lei

A deputada apresentou a proposta em 15 de novembro do ano passado. O projeto é voltado tanto para o uso recreativo quanto medicinal. Segundo ela, o objetivo é contemplar “veteranos, policiais, agricultores, empresas, pessoas com doenças graves”.

Além de ser benéfico para a “reforma da justiça criminal” nos EUA. 

Ela propõe alterar a lista de substâncias controladas do país CSA (sigla em inglês) que regula o uso de entorpecentes, para colocar a cannabis na mesma categoria que o álcool. 

Apesar de regularizada em vários estados, à nível federal, a cannabis ainda é listada junto com drogas como heroína e LSD. 

Novas regras

Contudo, a proposta sugere uma idade mínima nacional para o consumo de cannabis de 21 anos. Em contrapartida, deixa nas mãos dos estados a decisão quanto aos termos, usos e vendas.

Não é a primeira vez 

A Amazon já havia mostrado apoio à legalização da maconha antes. Em junho, o chefe da divisão de consumo global da Amazon, Dave Clark, abordou o assunto.

Ele disse que a empresa evoluiu seu pensamento sobre a cannabis com o passar do tempo, principalmente quando, na época, 17 estados legalizaram o uso adulto e mais de 30 estados começaram a permitir alguma forma de cannabis medicinal.

Candidatos às vagas de entregadores da Amazon, por exemplo, não precisam mais se preocupar com a triagem de maconha durante a seleção.

Em setembro, a vice-presidente sênior de Recursos Humanos da empresa, Beth Galetti, ainda disse que esperava “trabalhar com o Congresso e outros apoiadores para garantir a reforma necessária das leis de cannabis” nos EUA.

 

Tainara Cavalcante

Jornalista e produtora de conteúdo no Cannalize. Amante de literatura, fotografia e conteúdo de qualidade.

Mais Notícias