• 24 de junho de 2022

5 hábitos que podem melhorar a sua vida sexual

 5 hábitos que podem melhorar a sua vida sexual

Black man and woman enjoying sexual foreplay in bed, free space

Alguns hábitos podem proporcionar relações sexuais mais saudáveis e melhorar o desempenho durante o ato. Confira. 

 

O sexo é um culminado de sensações. Não apenas as sentidas durante o ato e relacionadas ao prazer, mas também a sentimentos anteriores a ele, que podem tanto beneficiar quanto prejudicar a relação. 

Os estados físicos e mentais de uma pessoa, por exemplo, mesmo que indiretamente, podem afetar o desempenho sexual ou impedir uma troca saudável entre os parceiros

Alguns fatores do dia a dia, por mais que sejam simples, influenciam nesses momentos e mudam comportamentos durante o sexo. 

Abaixo, listamos cinco hábitos que podem melhorar a sua vida sexual, confira: 

Alimentação saudável 

Por mais que não pareça, ter uma dieta saudável influencia na libido e no desempenho sexual de uma pessoa. 

Alimentos gordurosos e processados podem diminuir a produção de hormônios ligados a atividades sexuais, enquanto comidas orgânicas ajudam a aumentar a emissão dessas substâncias. 

Uma dica é aumentar o consumo de frutas, vegetais, grãos, cereais integrais, alguns tipos de peixes e carnes magras. 

Controle do estresse 

O estresse é um dos principais motivos do acontecimento de problemas sexuais, tanto em homens quanto em mulheres. 

A alta quantidade acumulada do sentimento pode diminuir o interesse pela relação e afetar em funções básicas do corpo, como o humor e a disposição.

Melhorar a qualidade do sono, realizar terapias de relaxamento, gerenciar o tempo e diminuir o consumo de bebidas alcoólicas e de cafeína, podem ser algumas soluções. 

Exercícios físicos 

A prática de exercícios físicos impacta diretamente no sexo. Além de proporcionar mais resistência e, consequentemente, melhorar o desempenho durante o ato, o hábito também melhora a libido e o bem-estar. 

Fazer esportes ou ir regularmente a uma academia, ajudam a regular a emissão de hormônios do corpo, muitos deles relacionados às atividades sexuais, como a endorfina e a serotonina. 

Além disso, os exercícios físicos, por si só, já proporcionam uma rotina mais saudável e uma vida com mais qualidade. 

Tratar a ansiedade 

A ansiedade é outro aspecto que prejudica o funcionamento das relações sexuais. Ela proporciona insegurança, medo, pode levar a ejaculação precoce e a não ereção. 

Essas situações causam desempenhos ruins na cama e afetam o bem-estar das pessoas. 

Melhorar o sono 

Ter uma boa noite de sono influencia em boa parte das nossas ações durante o dia. Com o sexo, esse cenário não é diferente.

Dormir pouco interfere na produção de hormônios sexuais, diminui o interesse pela prática e aumenta os níveis de cansaço e estresse. 

Portanto, procure melhorar a qualidade do sono, ou se você sofre com algum distúrbio relacionado ao hábito, procure um tratamento adequado para o seu caso. 

Influência da cannabis 

desejo sexual

A cannabis é uma opção para ajudar em muitas dessas questões. Isso se deve a capacidade medicinal do uso da erva. 

Os canabinoides, propriedades da planta, em especial o Canabidiol (CBD) e o Tetrahidrocanabinol (THC), apresentam  propriedades anti-inflamatórias e terapêuticas, que são recomendadas para tratar doenças e distúrbios; e para regular algumas das funções básicas do organismo. 

A interação do corpo humano com esses compostos é feita pelo Sistema Endocanabinoide (SEC), que é responsável, justamente, por esse processo de regulagem. 

Complicações como ansiedade, estresse, distúrbios do sono, diabetes e depressão podem ser tratadas com a cannabis medicinal, sempre de acordo com a posologia necessária e com o caso específico de cada um. 

Além disso, os produtos canábicos podem impactar diretamente nas relações sexuais. A nova tendência são os lubrificantes de maconha, que além de lubrificar, aumentam também o fluxo sanguíneo feminino. 

Gustavo Lentini

Jornalista e produtor de conteúdo da Cannalize. Apaixonado por futebol e pela comunicação.

Mais Notícias