• 27 de outubro de 2021

THC é remédio! Parem com o preconceito

 THC é remédio! Parem com o preconceito

Eu desconheço uma hipocrisia maior do que desqualificar o potencial terapêutico da Cannabis por causa do THC, o psicoativo da planta, conhecido por dar brisa.

Conservadores criticam a Cannabis e seus efeitos enquanto tomam um goro, acendem um cigarrão e mandam um Rivotril pra dentro. Parece uma caricatura, mas essas pessoas existem. E, infelizmente, esse preconceito seletivo em relação à maconha e sua alta causa um enorme mal social.

A endemonização do THC por parte da sociedade, seja por desinformação, preconceito ou má-fé, tem custado a qualidade de vidas de milhares de pacientes que poderiam se beneficiar dos efeitos medicinais dessa substância a partir do amplo acesso, autocultivo e legalização integral do uso da planta.

A ciência aponta evidências e pacientes vivem a realidade de que medicamentos ricos em THC são capazes de tratar epilepsia, depressão, dores crônicas, fibromialgia, efeitos colaterais da quimioterapia, Parkinson, Alzheimer, artrites, esclerose múltipla, câncer, doenças autoimunes e tantas outras patologias. Mas idaí, né?! O que importa mesmo é que deixa doidão e, por isso, tem que proibir. Me falta olho pra virar de tanta preguiça.

Aí, quem cresce em cima dessa discriminação são os negócios paralelos como o da indústria do CBD (canabidiol). Empresários ganham rios de dinheiros vendendo gummys, chocolates, água, suco e tem até cama pra cachorro com canabidiol. É um mercado milionário que em muitos momentos cresce em detrimento do THC.

É como se o CBD fosse bom por não dar brisa e o THC fosse mau por dar um baratinho. Essa dualidade é ignorante e só beneficia alguns grupos.

São ações na bolsa pra cá, discussões políticas pra lá, multinacionais interessadas no canabidiol e afins enquanto a realidade é uma só: a planta segue sendo proibida por causa do THC, comprometendo o amplo acesso ao medicamento na maior parte do mundo e tratando o consumo como algo criminoso, incidindo diretamente no encarceramento do povo preto e em políticas de segurança pública custosas e ineficazes.

Muita gente ganha com a proibição e tudo em nome de uma suposta cruzada contra o THC. Me poupe.

Esse canabinoide precisa sim de defesa por parte de todos os pacientes, ativistas e profissionais da saúde prescritores e de todas as pessoas que acreditam no potencial terapêutico da Cannabis.

Panaceia Canábica

Panaceia Canábica

Caroline Apple é jornalista, publicitária e idealizadora e apresentadora do projeto Namastreta, onde aborda temas como política, religião, ciência e diretos humanos pelo olhar da espiritualidade e do autoconhecimento. Trabalhou em veículos como Folha de S.Paulo, Agora SP, R7 e UOL. Foi repórter do Sechat, onde adentrou para o universo da cannabis. Hoje atua como ghostwriter de textos sobre Cannabis Medicinal e gerencia as redes sociais de empresa do ramo. É uma entusiasta da planta e de todo o seu potencial terapêutico, além de acreditar no cânhamo como o futuro da indústria como uma forma de aliviar o planeta de processos insustentáveis, como o uso do petróleo.

Mais Notícias