• 25 de junho de 2022

Psoríase: O que é, Causas, Sintomas e Tratamentos

 Psoríase: O que é, Causas, Sintomas e Tratamentos

Segundo a National Psoriasis Foundation, cerca de 125 milhões de pessoas em todo o mundo (2 a 3% da população) sofre de psoríase. 

Pessoas que convivem com essa doença acabam enfrentando uma situação até mais difícil do que os próprios sintomas da enfermidade, como por exemplo, o preconceito. 

Explicar o tempo todo para outras pessoas sobre a realidade da doença, acaba se tornando algo comum e necessário, porém desconfortável.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde(OMS) a psoríase é classificada como doença não transmissível, uma condição crônica e dolorosa e que ainda não existe cura.

Ela pode ocorrer em pessoas de qualquer idade, mas é mais comum entre pessoas de 50 a 69 anos e tem um impacto negativo na qualidade de vida das pessoas.

O que é Psoríase?

Uma doença da pele relativamente comum e crônica. É cíclica, ou seja, apresenta sintomas que desaparecem e reaparecem em períodos diferentes. Ao contrário do que muitos acham, ela não é contagiosa.

A sua extensão varia de pequenas lesões localizadas até o preenchimento de toda a pele.

Por ser uma doença autoimune, a psoríase faz com que o organismo ataque a si mesmo, e esse ataque pode ser recorrente.

Sua gravidade varia muito, podendo apresentar desde formas leves e fáceis de tratar até casos muito extensos, que levam à incapacidade física, comprometendo também as articulações.

 Tipo de psoríase

Existem vários tipos de psoríase, que podem surgir e também são tratados de formas diferentes. Dentre eles estão:

Psoríase vulgar ou em placas: A mais comum, apresenta lesões de diversos tamanhos, avermelhadas com escamas esbranquiçadas que geralmente surgem nos joelhos, cotovelos e couro cabeludo.

Psoríase Invertida: Apresenta manchas inflamadas e vermelhas, principalmente nas áreas úmidas do corpo.

Psoríase Gutata: Mais comum entre crianças e jovens com menos de 30 anos. Geralmente causa infecções bacterianas como as de garganta.

Psoríase Ungueal: É o tipo que afeta os dedos e unhas das mãos e dos pés.

Psoríase Pustulosa: Uma forma rara da doença, aparecendo manchas em todas as partes do corpo, formando bolhas cheias de pus.

Psoríase Eritrodérmica: É o tipo menos comum, pode atingir até 75% do corpo ou mais.

Psoríase Artropática ou Artrite Psoriásica: Está associada a qualquer outra forma da doença, afetando as articulações e podendo causar rigidez progressiva.

Psoríase Palmo-plantar: Atinge as palmas das mãos e as solas dos pés.

Causas da psoríase

Ainda não se sabe a causa exata da psoríase. Até hoje,  muitos acreditam que em nosso sistema imunológico existe uma célula conhecida como célula T, que percorre todo o corpo humano em busca de elementos estranhos, como vírus e bactérias, com o intuito de combatê-los. 

Em casos de pessoas com essa doença, essas células T acabam atacando células saudáveis da pele, como se fosse para cicatrizar uma ferida ou tratar uma infecção.

Muitos acreditam também que a genética também pode afetar em boa parte dos casos de psoríase, mas que fatores ambientais também estejam envolvidos.

Causas que podem desencadear essa doença, são:

  • Estresse;
  • Variações climáticas;
  • Fumo;
  • Consumo excessivo de álcool;
  • Lesões na pele, como feridas, machucados, queimaduras de sol ou outras de natureza física, química, elétrica, cirúrgica ou inflamatória;
  • Medicamentos, como alguns prescritos para transtorno bipolar, pressão alta e malária;
  • Alterações bioquímicas, ou seja, do metabolismo de algumas substâncias na pele.

Sintomas da psoríase

Os sintomas dessa doença varia de variam de paciente para paciente, conforme o tipo da doença, mas podem incluir:

  • Placas e descamações no couro cabeludo, cotovelos e joelhos;
  • Pequenas manchas brancas ou escuras após lesões;
  • Manchas vermelhas com escamas secas esbranquiçadas ou prateadas;
  • Pele ressecada e rachada, que podem sangrar vezes;
  • Coceira, queimação e dor;
  • Unhas grossas, descoladas e com depressões puntiformes;
  • Inchaço e rigidez nas articulações.

Em casos de psoríase moderada pode causar apenas um desconforto por causa dos sintomas, mas, em casos mais graves, pode ser muito dolorosa e provocar alterações que afetam na qualidade de vida e na autoestima da pessoa. 

Neste caso, o ideal é procurar tratamento o quanto antes.

Tratamento para psoríase

Atualmente, existem diversos tipos de tratamento para a doença, mas todos têm pelo menos, um dos seguintes objetivos:

  • Reduzir a inflamação e formação das placas, fazendo com que as células da pele parem de crescer tão rapidamente
  • Regular e normalizar a aparência da pele.

Para que isso aconteça, existem três opções de tratamento, aos quais incluem:

  • Tópicos: Medicamentos em cremes e pomadas, aplicados diretamente na pele;
  • Sistêmico: Medicamentos em comprimidos ou injeções, geralmente indicados para pacientes com psoríase de moderada a grave;

  • Fototerapia: Exposição da pele à luz ultravioleta de forma consistente e com supervisão médica. 

Medicamentos mais comuns usados para psoríase

Existem medicamentos que os pacientes podem ter acesso através do Sistema Único de Saúde (SUS), forma gratuita, esses medicamentos são:

  • Metotrexato;
  • Ciclosporina;
  • Clobetasol;
  • Acitretina;
  • Calcipotriol;
  • Dexametasona;
  • Adalimumabe;
  • Secuquinumabe;
  • Ustequinumabe;
  • Etanercepte;

Além disso, a rede pública também fornece a fototerapia.

Cannabis no tratamento de psoríase

Os estudos sobre a utilização da cannabis medicinal no tratamento da psoríase ainda estão sendo feitos. O médico e especialista em medicina farmacêutica, Dr. Wellington Briques, comenta em uma de suas literaturas sobre uma recente revisão científica:

“O sistema imunológico e a sua interação com o sistema nervoso foram investigados como o mecanismo encoberto pela doença. A interação entre estes dois sistemas através da via anti-inflamatória e também do Sistema Endocanabinóide, pode ter os canabinóides como um tratamento poderoso sobre a psoríase, principalmente por seu aspecto autoimune” ressalta.

O médico diz também que devido ao seu papel na regulação da resposta inflamatória de queratinócitos e células imunológicas dérmicas, o Sistema Endocanabinóide (SEC) oferece benefícios para a gestão de muitas condições inflamatórias da pele, mas os dados sobre isso ainda são limitados. 

Os efeitos benéficos da cannabis em pessoas com psoríase ainda não são totalmente confirmados, embora existam evidências de que suas propriedades possam ser benéficas a estes pacientes, novas pesquisas são necessárias.

Quer saber mais sobre a conexão entre a cannabis e a psoríase? Clique aqui. 

Bruno Oliveira

Tradutor e produtor de conteúdo do site Cannalize, apaixonado por música, fotografia, esportes radicais e culturas.

Mais Notícias