• 7 de dezembro de 2021

CBDa: O que é, seus efeitos e poder medicinal

 CBDa: O que é, seus efeitos e poder medicinal

O CBDA é um dos muitos compostos produzidos pela cannabis e pelo cânhamo. Abundante nas plantas vivas, ele pode transformar no canabinoide mais conhecido, o canabidiol (CBD) ao longo do tempo e quando exposto ao calor.

Os canabinoides são compostos da planta cannabis que interagem com nossos corpos para produzir efeitos medicinais e recreativos, desde alívio da dor e estresse até a euforia.

Você provavelmente já ouviu falar sobre CBD e THC, os canabinoides mais conhecidos e que sua origem vem de um canabinoide percursor conhecido como CBGA (ácido canabigerólico).

O CBGA se transforma em 3 formas principais de compostos de canabinoides, isso depende em qual enzimas são ativados para que possa ter uma direção a síntese:

  • THCA (ácido tetra-hidrocanabinólico)
  • CBCA (ácido canabichromenic)
  • CBDA (ácido canabidiolico)

Quando a descarboxilação ocorre quando a planta de cannabis é exposta ao calor ou à luz solar, o CBDA se transforma em CBD.
Em outras palavras, esse composto é a forma bruta do CBD.

Atualmente, o CBDA pode ser encontrado em capsulas, tinturas ou tópicos. Muitas pessoas até consomem cannabis pura para ter uma dose diária de CBDA

Mas o que o CBDA faz porque é importante?

Poder medicinal do CBDA

Enquanto a maioria dos canabinoides se ligam diretamente com os receptores CB1 ou CB₂, o CBDA não funciona desse jeito.

Em vez disso, interage com o sistema endocanabinoide através de inibição de enzima ciclo-oxigênase-2 (COX-2).

Enzimas COX-2 estão associadas com inflamações depois de uma infecção, então ao bloquear Enzimas COX-2, O CBDA pode aliviar inflamações associadas a dor.

Em um estudo com roedores, os cientistas descobriram que o composto pode afetar os níveis de serotonina, uma substância química produzida pelas células nervosas para ajudar na sinalização entre as células.

Serotonina é vital para os humanos, em funções essenciais, como habilidades motoras, sono, alimentação, digestão e emoções.

Vários estressores, incluindo radiação e quimioterapia, fazem com que o corpo libere o excesso de serotonina, causando náusea e vômito.

Enquanto o vômito geralmente pode ser controlado com medicamentos, a náusea é mais difícil de controlar.

Muitos pacientes com câncer dizem que a náusea causa mais sofrimento do que o vômito, porque a náusea é uma sensação continua.
De fato, um em cinco pacientes param o tratamento do câncer, para não sofrer náusea.

Os cientistas têm mostrado que CBDA pode afetar a serotonina do corpo, através do uso de CBDA como uma medicação para náusea/vômitos induzidos por quimioterapia e outras condições que causam a esses sintomas. Contudo, mais pesquisas são necessárias.

Pesquisa recente sobre CBDA

Os cientistas estudam sobre esse compostos por uma década.

Em 2008, um estudo mostrou o poder do CBDA como um agente anti-inflamatório, pela sua qualidade de inibidor da COX-2.

A equipe de pesquisas comparou as estruturas moleculares do CBDA com medicamentos anti-inflamatórios não esteroides (AINEs) geralmente usados para tratar inflamações e descobriu que suas químicas são semelhantes, ambos são conhecidos por inibir o receptor COX-2.

Esse estudo inicial mostrou que o composto tem potencial, como um agente anti-inflamatório.

Do mesmo jeito que controla a náusea, o CBDA também pode ser um poderoso anti convulsivo.

Os cientistas mostraram que esse composto tem 100 vezes mais afinidade com os receptores comparados com o CBD, um motivo é que o CBDA tem maior biodisponibilidade, então o corpo pode metabolizar o composto com menor esforço e em menos tempo.
Essa mesma afinidade do receptor significa que o CBDA poderia talvez combater a depressão.

Afinal, o CBDA trabalha sobre os receptores na maioria do mesmo jeito que um medicamento anti-depressivo.

Até agora, a maioria dos estudos da CBDA são estudos não humanos pré-clínicos. Enquanto testes em humanos são necessários, algumas empresas de cannabis medicinal, como a GW Pharmaceuticals, estão abrindo o caminho.

A GW Pharmaceuticals fabrica um óleo CBD de grau farmacêutico chamado Epidiolex, o primeiro medicamento de prescrição derivado de cannabis que está em processo de aprovação pela Food and Drug Administration (FDA) dos EUA.

Curiosamente, o FDA (agência federal do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos) exigia que a empresa não apenas conduzisse pesquisas sobre CBD, mas também conduzisse pesquisas sobre o precursor CBDA, e as próprias pesquisas da GW mostram que o composto é um tratamento de convulsão ainda mais eficaz.

A empresa também registrou outras duas formas de uso médico do CBDA: uma para doenças inflamatórias da pele e outra para tratamento de câncer.

Referências:

Avatar

Bruno Oliveira

Tradutor e produtor de conteúdo do site Cannalize, apaixonado por música, fotografia, esportes radicais e culturas.

Mais Notícias