• 27 de novembro de 2020

Cannabis X Dramin: Pode ser substituído?

 Cannabis X Dramin: Pode ser substituído?

Assim como o Dramin a cannabis também é útil no tratamento de náuseas e vômitos. Por isso ela pode substituir?

Com certeza você já deve ter tomado Dramin durante uma viagem que o fez dormir boa parte do trajeto. Bom, se ainda não passou por essa experiência, vai passar cedo ou tarde.

Embora o Dramin seja famoso por causar sonolência, ele foi feito para evitar enjoos, náuseas e vômitos. Mas muita gente tem usado o remédio para dormir.

A sonolência é um dos muitos efeitos colaterais do medicamento, que é usado em enjoos no começo da gravidez, em crises de labirintite, tratamento de radioterapia ou tonturas.

Além da sonolência, o remédio também pode provocar:

  •         Dores de cabeça;
  •         Tontura e visão turva;
  •         Boca seca;
  •         Retenção de urina;
  •         Irritabilidade.

Contraindicações

Além dos efeitos colaterais, ele também tem algumas contraindicações, como pessoas como por exemplo:

  •         Pessoas com hipersensibilidade;
  •         Menores de 12 anos;
  •         Pacientes com alergias a dimenidrinato ou anti-histamínico;
  •         A combinação do Dramin com bebidas alcólicas, sedativos e antidepressivos.

Vantagens de trocar o Dramin pela Cannabis

Conversamos com a neurologista Denise Lutf Pedra da Sociedade Brasileira de Estudos da Cannabis (Sbec), que nos ajudou a entender um pouquinho mais sobre o assunto.

Assim como o Dramin, a cannabis também possui uma ação antiemética, ou seja, substância que também ajuda a aliviar sintomas de náuseas e vômitos.

Além do mais, a cannabis produz efeitos colaterais bem menores que o medicamento. Há até quem não sinta nenhuma mudança.

Eles variam entre sonolência, alteração no apetite, boca seca e em alguns casos, até diarreia. 

Outra curiosidade é que estas substâncias são muito bem aceitas pelo organismo. Por isso, é praticamente impossível ter uma overdose.

A doutora acrescenta que apesar da aliviar os sintomas, a cannabis não é um tratamento sintomático como o Dramin, mas ajuda a reequilibrar a homeostase, ou seja, o regular de várias funções do corpo.

As capacidades terapêuticas da cannabis acontecem assim:

O Sistema Endocanabinóide, que funciona a nível celular, é responsável por estabelecer uma comunicação entre o cérebro e os processos do organismo, trazendo um equilíbrio aos níveis de substâncias do corpo.

Ele manda os endocanabinóides, substâncias produzidas pelo próprio organismo, para os receptores que funcionam como sinalizadores para as mudanças.

Isso mostra que a cannabis também trata outras condições, como fome, humor e até o sono.

Por isso, se as náuseas e os vômitos forem por alguma outra doença, como dores crônicas, Fibromialgia ou problemas no fígado, a cannabis pode tratar todas elas.

De forma bem mais natural, a planta não vai amenizar os sintomas, mas vai até a raiz do problema.

“A cannabis pode substituir todas as outras drogas, por apenas uma” acrescenta a neurologista.

Tratamento para insônia

Se você usa o Dramin para tratar a insônia, por exemplo, a cannabis pode ser usada com esta função também.

O seu trabalho é elevar a biodisponibilidade de um neurotransmissor chamado, serotonina, que regula alguns processos do corpo, sendo o sono um deles.

Os canabinóides influenciam também em vários outros neurotransmissores, como a anandamida, dopamina, endorfina entre muitos mais que controlam a fome, o sono, humor, memória e por aí vai.

 Alguns destes neurotransmissores são considerados também “canabinóides endógenos”, ou seja, canabinóides produzidos pelo próprio organismo.

É importante lembrar que a cannabis deve ser administrada com a orientação de um médico, principalmente se envolve outras doenças. 

Apesar de ter a capacidade de substituição, ela deve ser feita de forma gradual, com os resultados acompanhados de um médico.

Tainara Cavalcante

Jornalista e produtora de conteúdo no Cannalize. Amante de literatura, fotografia e conteúdo de qualidade.

Mais Notícias