• 19 de maio de 2022

Brasil poderia movimentar 2 bilhões com cannabis medicinal em quatro anos

 Brasil poderia movimentar 2 bilhões com cannabis medicinal em quatro anos

Mais uma pesquisa de mercado mostrou que o Brasil poderia faturar com a indústria de cannabis. Segundo relatório da Prohibition Partners, o Brasil poderia movimentar dois bilhões até 2025.

O valor dos produtos à base de cannabis é estipulado apenas para fins medicinais, sem contar o uso recreativo ou industrial. Segundo a pesquisa, até 2020 mais de 23 mil pacientes utilizavam o método alternativo de tratamento.

A expectativa da empresa de dados e inteligência é que esse número cresça 11 vezes mais, chegando a 262 mil pessoas em quatro anos, isso porque o Brasil é considerado o maior mercado da América Latina.

Contudo, para que isso aconteça, as leis sobre a cannabis no Brasil precisam avançar.

Legislação

Segundo as resoluções 327/19 e 335/20, produtos à base de cannabis podem ser comprados na farmácia ou importados, mas seguindo alguns requisitos, como receita médica e no caso da importação, autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). 

No entanto, os preços são bem altos. Um remédio na farmácia, por exemplo, custa mais de R$2.000,00. O que faz a maioria dos pacientes recorrerem a associações ou até mesmo a métodos ilegais.

 Há um Projeto de Lei que visa o cultivo e comercialização da cannabis no Brasil, que promete aumentar a concorrência e diminuir os preços. 

O PL 399/15 foi aprovado em uma comissão especial na Câmara dos Deputados e segue para o Plenário. Após ser discutida pelos Senadores, caso aprovada, ainda precisa ser autorizada pelo Presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que já se posicionou contrário ao projeto. 

Pesquisa mostra valor maior ainda

Fora o uso medicinal, a proposta também visa o cultivo do cânhamo para fins industriais. A variação da cannabis sativa possui 0,3% de THC, o componente que gera os efeitos da maconha. 

As suas fibras podem ser utilizadas para a fabricação de uma série de materiais, como cordas, tecidos e até cosméticos. De acordo com a análise da empresa Kaya Mind,  junto ao uso farmacêutico, a planta pode movimentar R$26,1 bilhões em quatro anos.

O levantamento divulgado em junho também mostra que uma legislação sobre o tema poderia gerar 117 mil empregos e R$8 bilhões em impostos.

Tainara Cavalcante

Jornalista e produtora de conteúdo no Cannalize. Amante de literatura, fotografia e conteúdo de qualidade.

Mais Notícias