• 14 de abril de 2021

Universidade do Paraná fará estudo com a cannabis para o tratamento de fibromialgia

 Universidade do Paraná fará estudo com a cannabis para o tratamento de fibromialgia

O estudo clínico contará apenas com voluntárias mulheres, as principais acometidas pela condição.

Neste mês, a Universidade Federal da Integração Latino-Americana, que fica em Foz do Iguaçu, irá realizar um estudo com 36 pacientes de fibromialgia. O objetivo é usar os efeitos terapêuticos da cannabis para aliviar as dores.

A pesquisa, que ainda está sendo analisada pelo conselho de ética da universidade, que está fazendo uma avaliação final.

O problema afeta de 4% a 6% da população global, de 18 a 65 anos. No Brasil, ela atinge cerca de 3% da população, isso significa quase 7 milhões de brasileiros, principalmente mulheres de 35 a 44 anos.

A Fibromialgia é uma doença sem cura. Ela é caracterizada principalmente por dores fortes por todo o corpo, além de outros sintomas.

Muitas vezes ela está relacionada a fatores emocionais, como ansiedade, depressão e estresse. Outras vezes pode ser ocasionada por fatores do sistema nervoso.

Mas de uma coisa é certa: independentemente de qual seja a causa, a fibromialgia pode dificultar a realização de tarefas simples, como lavar os pratos, abaixar para pôr o sapato e até um abraço pode ser doloroso.

Sobre o estudo

O estudo clínico contará apenas com voluntárias mulheres, que são as mais atingidas pela condição.  

Diferente da maioria dos estudos sobre cannabis, a pesquisa coordenada pelo professor de Farmacologia Francisney Nascimento, irá investigar principalmente os efeitos do tetraidrocanabinol (THC) e não do Canabidiol (CBD). 

Chamado de canabinoide, ele é o principal componente encontrado na maconha, e que causa os efeitos alucinógenos. Contudo, o extrato rico em THC também irá conter outras substâncias, com terpenos e também o CBD.

Apesar de estigmatizado, as suas propriedades médicas têm sido de grande valia, principalmente para pacientes com dores crônicas como Esclerose Múltipla, por exemplo.

Outro diferencial da pesquisa é que durará seis meses, onde serão analisados doses fixas, acima de 5 ml.  

O professor diz que o óleo será disponibilizado pela Associação Abrace Esperança, que possui o direito de plantar cannabis no país.

“Já temos uma lista prévia de candidatas que receberão o óleo pelos próximos seis meses”, acrescenta.

O professor Francisney Nascimento também já investigou os benefícios do THC para o tratamento de Alzheimer, com o óleo também fornecido pela Abrace.

Como funciona

Os canabinoides agem diretamente em um receptor no do nosso corpo chamado CB2, que influencia o Sistema Nervoso Central. Isso auxilia o equilíbrio dos comandos do organismo a nível celular.

  As substâncias da planta interagem com os canabinoides do nosso próprio corpo para a sintonia. O que de certa forma, tem a capacidade de auxiliar a sensibilidade excessiva que ocasiona a fibromialgia.

 *Matéria atualizada em 9 de março, às 9h52

Avatar

Tainara Cavalcante

Jornalista e produtora de conteúdo no Cannalize. Amante de literatura, fotografia e conteúdo de qualidade.

Mais Notícias