• 26 de junho de 2022

Tratado de Cannabis Medicinal visa democratizar as informações sobre a planta no Brasil

 Tratado de Cannabis Medicinal visa democratizar as informações sobre a planta no Brasil

A iniciativa propõe a distribuição de dois livros que poderão auxiliar médicos a prescrever a cannabis e também livros com uma linguagem menos técnica, para que qualquer um possa compreender a ciência canábica

É fato que médicos e demais profissionais da saúde tem dificuldade em encontrar informações sobre cannabis medicinal em português. Um erro grave, se você considerar tantas doenças que a cannabis já se mostrou eficiente, como doenças neurodegenerativas, dores crônicas e a mais famosa: a epilepsia refratária.

Ao menos 12 universidades brasileiras já demonstraram interesse em pesquisas sobre o Sistema Endocanabinóide. A Universidade Federal da Paraíba (UFPB), por exemplo, já até aprovou a disciplina para três cursos no ano passado (2019).

Embora os cursos de medicina, farmácia e biomedicina da UFPB já estudarem a cannabis medicinal, a falta de material, como livros em português, dificulta o processo de aprendizagem.

Solução

Pensando nisso, cerca de 60 profissionais, incluindo médicos, biólogos, farmacêuticos e cientistas se reuniram para criar um Tratado de Cannabis Medicinal

O intuito é criar dois livros: o primeiro, voltado para todos os públicos, onde entrega informações completas, da história da cannabis no Brasil, o cultivo, a botânica, extração e parte médica.

O segundo será com uma linguagem mais técnica, voltado para profissionais médicos, como uma forma de atualizar e auxiliar os conhecimentos para a prática clínica. 

Hoje, muitos profissionais tendem a buscar informações em associações e ONGs, além de materiais fora do país para prescrever cannabis para os seus pacientes.

A ideia veio da doutora Eliane Nunes, diretora da Sociedade Brasileira de Estudos da Cannabis. O objetivo é trazer uma informação mais completa e detalhada sobre a cannabis medicinal para o Brasil, que possa tanto abrir a mente de muitos médicos, como democratizar a informação para o público em geral.

Os livros terão grandes autores, como o deputado federal e ativista da cannabis medicinal Paulo Teixeira, médicos e cientistas como Sidarta Ribeiro, Janaína Barboza, Paula Dall’Stella e Erik Amazonas.

Como ajudar

A cannabis ainda é muito estigmatizada no país, por isso, conseguir patrocínio não é fácil. Pensando nisso, os profissionais decidiram fazer uma espécie de vaquinha online, para custear a diagramação, impressão e a distribuição do livro.

O intuito é arrecadar 30.000,00, que servirá de auxílio para mil cópias. Clique aqui para acessar a vaquinha.

Tainara Cavalcante

Jornalista e produtora de conteúdo no Cannalize. Amante de literatura, fotografia e conteúdo de qualidade.

Mais Notícias