• 27 de junho de 2022

Septicemia (Sepse): O que é, Causas, Sintomas e Tratamentos

 Septicemia (Sepse): O que é, Causas, Sintomas e Tratamentos

De acordo com o Instituto Latino Americano de Sepse (ILAS) estima-se que 400 mil casos de sepse são diagnosticados por ano no Brasil, causando a morte de 240 mil pessoas.

Você já ouviu falar dessa doença? Se a resposta for não, tudo bem, vamos descobrir do que se trata.

A septicemia, também conhecida como sepse, é uma condição de resposta exagerada a uma infecção no corpo, seja por bactérias, fungos ou vírus, que acaba causando disfunção orgânica, ou seja, que dificulta o normal funcionamento do corpo.

Na maioria dos casos, essa condição pode apresentar diversos sinais que podem variar de acordo com a gravidade da infecção, assim como a causa e o estado geral da pessoa.

Poucos sabem, mas o choque séptico é uma evolução da sepse, e a pressão sanguínea do indivíduo fica sempre baixa, mesmo com uso de medicamentos.

A sepse pode ter seu foco infeccioso em diferentes partes do corpo. Na sepse pulmonar, o foco está no pulmão, enquanto a sepse abdominal afeta algum dos órgãos que estão localizados no abdômen, como o apêndice. A sepse neonatal afeta bebês recém-nascidos.

Essa doença afeta principalmente, pessoas que estejam hospitalizadas ou que tenham uma imunidade mais comprometida.

Causas da Sepse

Essa doença pode surgir em qualquer pessoa que tenha uma infecção localizada que não é tratada, como por exemplo:

  • Infecção urinária;
  • Infecção intestinal; 
  • Pneumonia.

No entanto, é mais frequente em recém-nascidos, como no caso da septicemia neonatal citada anteriormente, ou em idosos, devido ao fato de terem o sistema imune mais enfraquecido.

Principais Sintomas

Por incrível que pareça, os sinais e sintomas da doença surgem muito rapidamente e são mais frequentes após uma cirurgia ou quando se tem outra infecção no corpo.

Ao perceber esses sintomas, a pessoa deve ir urgentemente ao hospital para iniciar o tratamento o mais rápido possível. 

Alguns dos sinais e sintomas que ajudam a identificar uma septicemia, ou sepse, incluem:

  • Febre;
  • Taquicardia;
  • Calafrios;
  • Falta de ar;
  • Queda na pressão arterial;
  • Confusão mental;
  • Sonolência excessiva;
  • Queda na produção de urina;
  • Queda na produção de plaquetas;
  • Mudanças na coagulação sanguínea;
  • Agitação e ansiedade.

Vale ressaltar que, ao ser notado a presença de alguns desses sintomas, somente um médico através de uma avaliação pode indicar o melhor medicamento e tratamento para o paciente.

Possíveis tratamentos

Afinal, existe tratamento para esta doença?

Para tratar essa condição, o paciente entra no protocolo de sepse, com uso de medicamentos e medidas que diminuam a expansão da doença. 

Além disso, são usados também medicamentos que garantam a pressão sanguínea e os níveis de açúcar no sangue, que são essenciais para o bom funcionamento do organismo.

O tratamento da septicemia deve ser feito em internamento no hospital e iniciado o mais rápido possível, por profissionais de saúde com experiência na assistência a pacientes criticamente doentes.

Após a saída dos resultados das hemoculturas, o médico poderá alterar os medicamentos para um mais específico, de forma a combater a infecção mais rapidamente.

Caso a infecção esteja sendo causada por fungos, vírus ou outro tipo de micro-organismo, o remédio inicial também é interrompido e são indicados os remédios mais adequados.

Bruno Oliveira

Tradutor e produtor de conteúdo do site Cannalize, apaixonado por música, fotografia, esportes radicais e culturas.

Mais Notícias