• 26 de junho de 2022

Quem se importa com os efeitos colaterais da maconha, certo?

 Quem se importa com os efeitos colaterais da maconha, certo?

Vamos ser honestos? o consumo da maconha está crescendo cada vez mais. O uso recreativo se tornando popular, o uso medicinal está ganhando mais espaço, e os estoque de maconha tem aumentado ano a ano. Mas será que os efeitos colaterais também estão aumentando?

Depois de quase quarenta anos de estigma com as drogas ilícitas, o uso da maconha está passando por um novo renascimento. A descriminalização das drogas e o seu poder medicinal a colocaram de volta no pedestal da mídia.

Este artigo o ajudará a compreender um pouco melhor quais são as verdadeiras desvantagens de fumar maconha, com que frequência ocorrem e quanto tempo duram.

Efeitos gerais da erva

Levando em consideração as diferenças botânicas e agrícolas, as plantas de cannabis podem ter diversas composições e causar uma variedade de sintomas. No entanto, os principais efeitos fisiológicos e psicológicos da fumaça de ervas daninhas são comuns a todas as cepas, mas podem variar na intensidade de um produto para outro.

Efeitos fisiológicos causados pela maconha

Quando os canabinóides atingem a corrente sanguínea, facilmente eles atravessam a barreira hematoencefálica e influencia os receptores do canabinóides no Sistema Nervoso Central (SNC). O efeito da erva no cérebro e na coluna é o primeiro evento fisiológico, que causa outras reações do sistema orgânico.

Os receptores canabinóides alteram a neurotransmissão do SNC, influenciando a atividade da noradrenalina, dopamina e acetilcolina. Dependendo do local de ligação do canabinoide primário no cérebro, o fumo da maconha pode afetar:

  • Coordenação;
  • Aprendizado e memória;
  • Funções Cognitivas;
  • Qualidade do sono;
  • Sentidos;
  • Desejo sexual.

A maconha também afeta o sistema nervoso autônomo que regula as funções automatizadas, como a respiração, frequência cardíaca e atividade da glândula. 

Muitos efeitos colaterais causados pelo uso recreativo da planta se desenvolvem como consequência dessa desregulação neural.

Outros efeitos típicos da maconha incluem:

  • Relaxamento da musculatura: de acordo com pesquisas, os canabinóides se ligam aos receptores espinhais e regulam negativamente a neurotransmissão muscular;

  • Depressão cardiovascular: os músculos nos vasos sanguíneos relaxam, portanto diminui a pressão do sangue e aumenta a frequência cardíaca;

  • Atividade endócrina: a boca fica seca geralmente por uma atividade glandular alterada;

  • Vermelhidão dos olhos e redução da pressão ocular: resultado dos efeitos depressores vasculares e neurais;

  • Atividade respiratória: os compostos da erva tendem a iniciar uma variedade de reações pulmonares, que também são considerados efeitos colaterais da maconha.

Efeitos psicológicos causado pela maconha

Esses efeitos, geralmente são a experimentados pelos consumidores da maconha, envolvendo o lado emocional e desregulação neural. Os efeito mais comuns incluem:

  • Sensação de euforia, bem estar em geral e redução no estresse;
  • Maior apreciação pela música e artes visuais;
  • Aumento na sensibilidade;
  • Aumento de sabores e aromas;
  • Maior senso de consciência e criatividade.

Benefícios para a saúde

O uso da planta vai além do prazer recreativo. Hoje, cepas purificadas estão sendo desenvolvidas e cultivadas com o objetivo de diminuir os efeitos colaterais da planta quando usada de forma medicinal. O melhor óleo de CBD também é utilizado para fins medicinais. 

Efeitos medicinais reconhecidos da erva

  • Alívio da dor crônica;
  • Aumento na capacidade pulmonar;
  • Regulação nos níveis de insulina;
  • Auxílio na terapia do câncer;
  • Regulação do apetite e remédio anti-náusea;
  • Tratamento de depressão leve;
  • Controle de convulsões causada por epilepsia;
  • Tratamento de glaucoma;
  • Tratamento de Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH);
  • Tratamento na ansiedade e estresse pos traumatico;
  • Alívio dos sintomas e tratamento da progressão em doenças neurodegenerativas, como Alzheimer, Esclerose Múltipla e Parkinson;
  • Problemas digestivos, com IBS ou falta de apetite;
  • Efeitos anti-reumático.

Efeitos colaterais causados pelo uso da planta

Como mencionado antes, tanto a cannabis sativa quanto a indica tem muitas cepas, que podem impactar o organismo humano. A produção delas nem sempre é completamente regulada, portanto, a composição de um produto pode desencadear uma reação diferente da de outro.

O uso medicinal da plantal, por outro lado, tem uma produção monitorada de perto. Suas cepas são cultivadas para produzir um efeito dentro das restrições médicas definidas.

O CBD tem uma afinidade de receptor diferente e produz efeitos principalmente positivos. Os efeitos colaterais do óleo CBD são menos intensos do que aqueles que os consumidores fiéis experimentam.

Sejam naturais ou sintético, os efeitos colaterais da maconha estão conectados a sua atividade fisiológica e psicológica. A intensidade desses efeitos dependem da potência do produto consumido e da frequência de uso.

Os consumidores recreativos geralmente se concentram nos efeitos da fumaça da erva, deixando de lado os efeitos nocivos que ela carrega. 


Efeitos negativos da maconha

O uso excessivo de maconha é considerado um caso isolado, sem repetição. Geralmente resultando os principais efeitos colaterais fisiológicos da erva, que podem durar até 48 horas.

Em casos de uso crônico, os efeitos fisiológicos do corpo mudam e a percepção da realidade influencia o início de desenvolvimento psicológicos profundos. Consumidores crônicos são definidos por

  • “Leve” (uma a quatro doses por semana);
  • “Intermediário” (cinco a seis doses por semana);
  • “Pesado” (sete ou mais doses por semana).

Dependendo da frequência do uso, a maconha pode ficar no corpo entre 3 dias a 3 meses.

Alguns efeitos internos se desenvolvem a curto prazo e geralmente desaparecem após uma semana de abstinência. Outros, no entanto, podem criar uma dependência duradoura.

Conclusão

Novamente, vamos ser honestos, o uso da maconha pode trazer muitos benefícios, mas também pode causas alguns desconfortos. Os efeitos colaterais de longo prazo do uso frequente da maconha trazem consequências comportamentais e fisiológicas e, como tal, é algo que os consumidores devem estar muito atentos.

A melhor maneira de evitar efeitos negativos é controlar a compra e o uso de produtos.

Produtos para o uso recreativo devem ser adquiridos através de canais legítimos. Assim, o consumidor tem em mãos um produto de qualidade, com níveis de THC adequados. 

Os usuários não devem apenas buscar produtos controlados, mas também devem seguir as recomendações de conformidade. Usar mais do que o prescrito geralmente leva à dependência.

Referências

  • Loud Cloud Health

Bruno Oliveira

Tradutor e produtor de conteúdo do site Cannalize, apaixonado por música, fotografia, esportes radicais e culturas.

Mais Notícias