• 31 de julho de 2021

Quanto custa o óleo de Cannabis no Brasil?

 Quanto custa o óleo de Cannabis no Brasil?

Embora ainda restrita no Brasil, há várias formas de se obter o óleo da planta, seja por importação, compra nas farmácias e até o plantio. Mas quanto custa?

Os benefícios medicinais da planta são cada vez mais conhecidos. As suas propriedades medicinais ganharam força no Brasil com o caso da pequena Annie Fischer, em 2014.

Ela tinha uma doença rara que causava convulsões e a cannabis foi a solução mais efetiva para o seu caso. Atualmente também tem sido para muitos outros pacientes que relatam até uma melhora de vida.

Hoje já é possível importar, comprar em associações e até plantar. (Com o aval da justiça, claro!)

As pessoas utilizam a planta para os mais variados tratamentos, como Alzheimer, Parkinson, Esclerose Múltipla e claro, epilepsia.

O tratamento alternativo é conhecido por ser mais rápido, efetivo, com poucos efeitos colaterais e até possibilitar a interação com outros medicamentos.

Contudo, os estudos da planta ainda estão sendo desenvolvidos e a ciência ainda está testando a efetividade do óleo.

Por isso, é importante ressaltar que no Brasil, a cannabis normalmente é recomendada quando nenhum outro tratamento é efetivo e você só vai conseguir um óleo com uma prescrição médica.

Mas você veio aqui pelo preço, então vamos lá:

Óleos à base da planta têm valores bem variados, que vão de R$70,00 a R$3.000,00. Para entender qual o preço que vai pagar é necessário levar várias coisas em consideração.

Origem do produto

A primeira coisa é a origem. De onde está vindo o produto?

Importação.  Nos Estados Unidos e Europa, por exemplo, produtos à base de cannabis são cada vez mais comuns. A vantagem dessa opção está na variedade de produtos, onde os óleos podem ser encontrados nas mais variadas concentrações.

Por causa disso, o preço pode variar de U$12,00 até U$600,00, o que pode ser bastante salgado, considerando que o dólar americano está cotado acima dos cinco reais.

Fizemos um artigo com todos os requisitos para importar, veja aqui.

Farmácia. No ano passado, a resolução 327 permitiu que produtos à base da planta fossem vendidos nas drogarias. Contudo, os produtos precisam do aval da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Até agora, apenas uma farmacêutica conseguiu aprovação. Os produtos da Prati-Donaduzzi, que hoje é possível ser encontrado em três concentrações diferentes, possuem valores variados.

Concentrações de 20 mg/ml,  por exemplo, tem um custo médio de R$250,00, já o óleo com 200 mg/ml custa pelo menos, dois salários mínimos.

Associações. Há uma variedade de associações canábicas no Brasil em quase todos os estados. Elas ajudam a orientar os pacientes a encontrar médicos prescritores e até cultivam o óleo para a venda.

No entanto, é preciso lembrar que apenas a associação Abrace Esperança possui o aval para o cultivo e a venda. As demais associações plantam em desobediência civil.

O custo mínimo por frasco vendido pelas entidades costuma variar de R$70,00, para concentrações mais baixas, até R$800,00, dependendo da entidade e da condição. 

Óleos artesanais. Outra opção são cultivadores independentes, que vendem o óleo com um preço mínimo de R$150,00.

Por ser um plantio ilegal, a grande desvantagem é que não se sabe exatamente a procedência do óleo.

Ou então se o óleo possui as concentrações certas de canabinoides, onde foi plantado e se possui alguma substância a mais.

Cultivo. Primeiro, é importante entender que o plantio no Brasil é proibido, salvo por decisões judiciais, que sempre consideram o uso individual. Veja como isso é feito aqui.

 Porém, a primeira coisa a fazer é entender os derivados da planta, suas cepas, canabinoides e também qual a melhor cannabis para a sua situação.

A cannabis tem milhares de cepas, que podem alterar o sabor, os efeitos até a forma que a planta é cultivada.

Conseguir as sementes, também não é uma tarefa fácil, a compra e a importação já renderam bastante assunto na justiça.

Contudo, quando se entende tudo isso, o plantio acaba sendo bem vantajoso, principalmente por saber a origem da planta e o seu processo para a confecção do óleo.

Como nos demais casos, aqui o preço também vai variar bastante, pois ele vai depender do valor pago pela terra, pelas sementes e até se o plantio é em ambiente fechado ou aberto, que também influenciam a produção dos canabinoides.

Conversando com pacientes que têm o aval para o cultivo, o preço pode variar entre R$200,00 a R$600,00, mas não é regra.

Qual óleo serve para o meu caso?

Contudo, não é apenas a origem que precisa ser levada em consideração. Como dissemos lá em cima, há outros fatores que influenciam no valor que você vai pagar.

Como a condição tratada. Doenças como epilepsia, por exemplo, geralmente precisam do canabidiol (CBD) em uma concentração mais alta.

Já para o tratamento de Alzheimer ou esclerose múltipla, o tetraidrocanabinol (THC) é mais recomendado.

Regra que funciona até para canabinoides menores, como o CBG, por exemplo. Embora precise de mais estudos, há a possibilidade de servir no tratamento de glaucoma.

Como já falamos, as concentrações podem influenciar bastante no preço, por isso, o valor pode ser bem salgado.

Contudo, quem vai determinar qual o óleo e qual a concentração usada, será o médico prescritor.

É importante ressaltar que embora o óleo tenha o poder de funcionar em até 15 dias, encontrar uma concentração e dosagem correta pode demorar bastante, pois cada organismo é único.

Óleos que servem para alguns pacientes, por exemplo, podem não servir para outros com a mesma condição. Tudo vai depender da biodisponibilidade do organismo e a sua absorção.

Não tenho condições de comprar. E agora?

Sabemos que mesmo o óleo mais barato pode ser um preço bem alto para muitas famílias. Por isso, há outras formas de se conseguir o óleo sem um custo mensal.

Como por exemplo, convênios médicos. Segundo a lei, eles são obrigados a cobrir este tipo de tratamento. No entanto, em quase todos os casos, será preciso brigar na justiça pelo direito.

Outra opção são as associações. Entidades como a Abrace Esperança, por exemplo, possuem cotas para famílias que não podem pagar pelo tratamento.

Outra opção é o Sistema Único de Saúde (SUS), mesmo. Como no caso dos planos de saúde, é preciso brigar pelo fornecimento do óleo pela rede pública.

Há a intenção de colocar o canabidiol da Prati-Donaduzzi no SUS, mas ainda nada foi decidido.

Porém, esta opção só será efetiva quando já se faz o uso de algum óleo.  

Avatar

Tainara Cavalcante

Jornalista e produtora de conteúdo no Cannalize. Amante de literatura, fotografia e conteúdo de qualidade.

Mais Notícias