• 24 de junho de 2022

Preconceito é a principal dificuldade para quem quer entrar no mercado canábico

 Preconceito é a principal dificuldade para quem quer entrar no mercado canábico

O estudo foi desenvolvido no último mês, e aponta o preconceito e a falta de informações como os principais desafios para trabalhar no setor.

De acordo com um levantamento da Kaya Mind, 61,6% das pessoas que trabalham ou querem trabalhar com a cannabis de alguma forma, apontam o preconceito e a falta de informação como a principal dificuldade. 

O estudo foi realizado na Medical Cannabis Fair com 1.022 pessoas. O objetivo era entender o perfil de consumo dos participantes do evento. 

De acordo com a pesquisa, o preconceito foi a principal causa para 34,3% do público e 27,2% apontaram a falta de informações.

Infográfico: Kaya Mind

Outros motivos

Por outro lado, houveram também outras respostas que impedem as pessoas de entrar de cabeça no setor. 

Uma delas é a falta de infraestrutura, considerado por  16,2% dos entrevistados. Ou então, a falta de divulgação em Marketing apontada por 12,4% das pessoas. O público também destacou a falta de vagas no segmento (7,3%) e outros motivos (2,3%).

Para Maria Eugênia Riscala, cofundadora e CEO da Kaya Mind, “o disparo de respostas apontando o preconceito e a falta de informações como maiores entraves do setor ressalta ainda mais a importância da elaboração de pesquisas e estudos científicos na área para quebrar esses paradigmas na sociedade, além da promoção de eventos, cursos e de pessoas qualificadas falando sobre o assunto”. ,

A executiva ainda afirma que além dos inúmeros benefícios comprovados, o relatório Impacto Econômico da Cannabis estima que o mercado da planta no geral poderia movimentar R$26,1 bilhões no Brasil no seu quarto ano de regulamentação.

Tainara Cavalcante

Jornalista e produtora de conteúdo no Cannalize. Amante de literatura, fotografia e conteúdo de qualidade.

Mais Notícias