• 16 de agosto de 2022

Por que o preço do CBD varia tanto?

 Por que o preço do CBD varia tanto?

Bottle of marijuana oil lies on banknotes. Share of drug trade in world economy concept

Os preços dos produtos com Canabidiol (CBD) aparecem em vários formatos , com diferença de preço superior a 3.000%. E o caso não muda no Brasil.

A diferença de preço entre os produtos que contém CBD diminuiu um pouco entre abril e novembro de 2021, mas ainda há uma grande disparidade de preços no mercado. Essas informações vêm do último relatório de preço do Leafreport. 

No estudo, os analistas da Leafreport afirmam que, embora o rastreamento de mercado entre abril de 2021 e novembro de 2021 tenha visto a diferença de preço cair – de 3.682% em abril para 3.561% em novembro –, a porcentagem ainda é muito alta. 

No Brasil não é diferente. Com uma demanda cada vez maior, mais pessoas passaram a buscar o produto e com isso, mais fornecedores começaram a aparecer. O que felizmente tornou os preços mais competitivos. 

Tipos de produtos 

O estudo norte-americano também descobriu que os produtos tópicos e os comestíveis são as categorias em que os preços mais variaram. 

Na categoria de cremes e tópicos, os que contêm isolados de CBD em vez de extrato de cânhamo, tendem a ser mais caros, afirmaram os profissionais da área entrevistados pela Leafreport. 

O relatório destacou também que a diferença de preço entre os produtos tópicos de CBD mais baratos e mais caros aumentou 11.142% durante o período de abril a novembro – um aumento significativo em relação a abril de 2021, quando a diferença de preço era de 4.718%. 

Tópicos

A pesquisa cita Laura Fuentes, diretora de ciência e inovação da Green Roads CBD, observando que os “preços acessíveis” dos cremes, muitas vezes são misturas de CBD, mentol e algumas bases para a pele. 

Enquanto as opções mais caras podem incluir ingredientes ativos mais poderosos.

Comestíveis

Na categoria de comestíveis, houve uma diferença de preço de 5.100% entre os produtos mais baratos e mais caros. 

Quando se trata de comestíveis, os ingredientes também podem variar bastante. “A variação significativa de preços em tópicos e produtos comestíveis de CBD é causada pelo número de ingredientes envolvidos”, diz Jim Higdon, co-fundador e CCO da Cornbread Hemp. Ele completa dizendo que algumas marcas sacrificam a qualidade com ingredientes baratos, o que reduz os preços. 

Em geral, comestíveis como gomas de Canabidiol são naturalmente mais vulneráveis às variações de preços porque há muitos ingredientes, e o preço de qualquer um deles pode mudar a qualquer momento. 

E o Brasil?

Existem vários fatores que influenciam o preço do CBD, como a fabricação, a origem do insumo, o branding da marca, a composição do produto, a forma de venda, a embalagem, o veículo de diluição, impostos etc.  Se for uma empresa representante (como importadora), por exemplo, o valor também pode mudar. 

Como existem muitas variações de todos esses elementos no Brasil, pela falta de regulamentação de cultivo no país e pela importação ser a principal via de acesso a esses medicamentos, os preços também acabam por variar muito.

O barato sai caro

Não é segredo que os produtos com preços bem mais baixos podem vir de fornecedores que não pagam pelo mesmo nível de qualidade ou controle de qualidade que seus concorrentes. 

“Empresas como a Green Roads, que gastam muito em matérias-primas de alta qualidade, testes independentes e outras práticas recomendadas, naturalmente serão mais caras do que outras que ignoram essas etapas”, disse Fuentes.

Ela comenta ainda que, observados os preços de todos os principais players do setor, a diferença não é tão grande porque a maioria segue o mesmo processo de produção e tem custos semelhantes. 

A diferença começa a aparecer quando as empresas voam sob o radar e não seguem os procedimentos de fabricação para venderem mais barato.

Se você pensa em começar um tratamento com cannabis, de forma segura e com um preço justo, converse com nossos especialistas.

Arthur Pomares

Jornalista e produtor de conteúdo da Cannalize. Apaixonado por café, futebol e boa música. Axé.

Mais Notícias