• 16 de agosto de 2022

Por que o frete do CBD é tão caro? 

 Por que o frete do CBD é tão caro? 

O Brasil importou mais de 40 mil produtos de cannabis no último ano. Contudo, o frete não sai menos de R$100,00. Por que esse valor é tão alto? Entenda. 

Produtos à base de cannabis não são baratos. Um frasco de 30 ml pode variar entre R$200,00 a R$3 mil. Tudo vai variar da concentração e condição tratada. 

Por mais que o preço do óleo que vem de fora seja menor que o produto das farmácias, ele aumenta quando se trata de um óleo importado. 

Para se ter uma ideia, o frete pode variar de R$100,00 a R$1.000,00, dependendo de onde vem e até se possui mais ou menos teor de Tetrahidrocanabinol (THC). A substância é o principal componente que gera os efeitos alucinógenos. Mas por que é tão caro?

Quanto custa importar canabidiol?

Desde 2015, quando a importação de produtos à base de cannabis foi regularizada pela Resolução 335, não há nenhuma taxação. 

Isso quer dizer que  qualquer pessoa física que importe algum tipo de produto derivado da planta legalmente, fica isenta do imposto sobre o produto. 

Por outro lado, boa parte dos óleos vem dos Estados Unidos. O valor é variável, mas cotado em dólar. 

Veja alguns fatores que influenciam no preço da importação: 

Valor da carga 

O preço de qualquer produto pode ser um fator importante no cálculo do frete. Uma vez que a nota fiscal demonstra um produto caro, o transporte também vai ser.

Isso porque a transportadora precisa fazer um seguro da carga, caso aconteça algo errado. Então, quanto mais caro a carga, mais caro pode ser o frete. Mas não é regra.

Distância

A distância também contribui para o preço alto, principalmente se tratando de um país diferente, como no caso do CBD.  

É importante ressaltar que há apenas duas maneiras de importar remédios à base de cannabis medicinal:

  • Remessa expressa;
  • Ou simplesmente, bagagem acompanhada.

O envio pelos correios é proibido.

Urgência

Segundo Marina Menezes, que trabalha com a importação de produtos pela Cannect, a urgência da entrega é outro fator que contribui para o aumento do frete. 

Os produtos normalmente são solicitados para entrega imediata, que dependendo da disponibilidade do fornecedor, pode acontecer até no dia seguinte à compra.

Produtos com alto teor de THC

Contudo, há condições médicas que demandam quantidades maiores de THC, como esclerose múltipla ou fibromialgia, o que pode complicar um pouco mais.

A política norte-americana, por exemplo, não permite a exportação de produtos com uma quantidade maior de 0,3% de THC, pois é considerado tráfico.

Por isso, é necessário ser importado de outros países. Com a alteração do país de origem, a legislação também muda.  

Vamos pegar a Macedônia como exemplo. Para um produto feito de cannabis com um teor maior de Tetrahidrocanabinol ser exportado, é necessário uma aprovação do órgão fiscalizador de lá. Uma espécie de Anvisa. 

Juntando com toda a burocracia, por muitas vezes, o valor do frete pode chegar a R$400,00 por frasco. 

Importação coletiva

Muitas associações e grupos de pacientes têm recorrido à compra coletiva, para reduzir o valor do frete. 

 Eles reúnem quantos pacientes precisam do medicamento e negociam com a farmacêutica estrangeira, que manda tudo de uma vez.

A importação conjunta serve para baratear os custos, uma vez que é uma compra grande. O número maior de óleos, dá espaço para a negociação dos valores originais, principalmente se for importações recorrentes com o mesmo fornecedor.

Embora a Anvisa não autorize compras coletivas, é muito comum a prática por pacientes que já tem a autorização. É como se fosse uma compra individual, mas na hora de fazer a negociação com a farmácia, o preço cai porque são muitos comprando do mesmo lugar.

Tainara Cavalcante

Jornalista e produtora de conteúdo no Cannalize. Amante de literatura, fotografia e conteúdo de qualidade.

Mais Notícias