• 27 de junho de 2022

Por que crianças passam mal ao ingerir comestíveis de maconha?

 Por que crianças passam mal ao ingerir comestíveis de maconha?

Foto: Shutterstock

O aumento de casos de crianças que comeram algo com cannabis provocou um alerta em países onde a maconha é legalizada. Mas por que elasse intoxicam?

Volta e meia aparece uma notícia de crianças que se intoxicaram com comestíveis de maconha e foram parar no hospital. Recentemente, foram três crianças da terceira série de uma escola primária na Califórnia, nos Estados Unidos. 

O caso aconteceu na semana passada (26). Segundo os funcionários da escola, uma criança levou as balas e distribuiu para dois colegas durante o intervalo. Parece que ele não sabia que as guloseimas eram feitas de maconha

Foto: Shutterstock

Mais comum do que se imagina

Casos como este não são tão incomuns em países como os Estados Unidos e Canadá, em que o uso da cannabis é mais acessível em diferentes formas.

Tanto que o sistema de saúde do Canadá emitiu um alerta para comestíveis de maconha que se assemelham a salgadinhos e doces populares, que podem confundir as crianças. 

O aviso menciona imagens chamativas, nomes e símbolos que imitam marcas populares e até estabeleceu uma forma de embalagem que informe claramente que possui Tetrahidrocanabinol (THC), a principal substância que causa os efeitos da maconha. 

 Mas por que as crianças passam mal e os adultos não?

De acordo com o médico-cirurgião Rafael Pessoa, balas, salgadinhos e guloseimas feitas com cannabis são direcionadas à adultos, por isso, são feitas para causar efeitos em um corpo “maior” e totalmente desenvolvido. 

Segundo ele, há duas possibilidades para que uma intoxicação em crianças aconteça. Uma ainda pode complementar a outra:

1.Falta de metabolização. Os comestíveis geralmente são feitos com altas quantidades de THC e voltadas para o uso adulto. Contudo, o corpo das crianças ainda está se desenvolvendo e elas não conseguem metabolizar as substâncias direito.

O que, consequentemente, provoca ingestão, ansiedade e uma intoxicação alimentar, pois provocam sensações mais intensas até que a cannabis na forma fumada. 

2.Consumo exagerado. Que crianças gostam de doces, não é novidade. No entanto, há algumas que querem comer até demais, o que, mesmo sem maconha, pode causar dores de barriga. 

Por outro lado, os efeitos podem se agravar quando as substâncias alucinógenas são acrescentadas. 

Sem contar que os efeitos não aparecem na hora que se consome, mas até 12 horas depois. Isso pode fazê-las exagerar o consumo por não sentirem nada de errado.

Não só em crianças

Justamente por causa da demora dos efeitos, muitos adultos também tendem a exagerar no consumo, o que também pode trazer resultados ruins.

De acordo com um estudo publicado no Annals of Internal Medicine, as visitas aos hospitais por intoxicação de cannabis nos Estados Unidos triplicou nos últimos anos. 

De 2012 a 2016, mais de 2.500 pessoas foram parar na emergência por causa da maconha. No Colorado, por exemplo, a ingestão tem sido maior até que a participação do mercado de comestíveis.

Embora na época o consumo de guloseimas com maconha representasse apenas 0,3%, as internações já eram de 10%.

Tainara Cavalcante

Jornalista e produtora de conteúdo no Cannalize. Amante de literatura, fotografia e conteúdo de qualidade.

Mais Notícias