• 25 de junho de 2022

O que dizem os especialistas sobre o uso do Delta-8 THC?

 O que dizem os especialistas sobre o uso do Delta-8 THC?

Os produtos Delta-8 THC têm ganhado muita popularidade nos últimos anos, especialmente em estados que ainda não legalizaram o uso adulto de cannabis.  

O status legal do Delta-8 THC continua a evoluir, mas existe uma pergunta que todos os consumidores devem fazer antes de considerar a legalidade desse composto que é: ‘’se é seguro ou não consumir o Delta-8 THC?’’

Quase todos os produtos derivados de canabinoide são vendidos fora das indústrias de cannabis licenciadas e regulamentadas pelo estado.

Em espaços não regulamentados, não há regras para evitar que vendedores mal-intencionados que efetuam vendas de produtos com alto nível de toxidade.

Essa é uma preocupação urgente e consistente entre os reguladores, técnicos de laboratório, médicos e outros especialistas. 

Mas afinal, o que é Delta- 8 THC?

O THC se tornou o composto de cannabis mais conhecido. No entanto, esse termo abreviado na verdade se refere ao delta-9 tetrahidrocanabinol. 

É o mais prevalente dos canabinoides encontrados na planta cannabis, bem como o composto psicoativo conhecido por produzir um efeito alucinógeno nos consumidores de cannabis.

Contudo, o Delta-8 THC é um composto um pouco diferente.

A estrutura deste composto é semelhante a do delta-9 THC Na verdade, existem apenas algumas diferenças de ligações entre os dois canabinoides. 

Assim como THC, o delta-8 THC também produz efeitos alucinógenos. Contudo, ele tem uma potência psicológica menor. 

Como outros canabinoides, também se descobriu que tem um potencial medicinal e terapêutico promissor.  

O Delta-8 THC é um dos quatro canabinoides mais comuns produzidos pela planta cannabis, porém, ainda está presente apenas em pequenas quantidades. 

Mesmo assim,  isso não impediu que algumas empresas desenvolvessem maneiras de extrair com sucesso o canabinoide para o desenvolvimento de produtos. 

 

Resultados chocantes de testes de produtos

Um relatório divulgado em 2 de Junho pela U.S Cannabis Council, um grupo comercial licenciado pelo estado e defensores da legalização, descreveu a explosão nas vendas não regulamentadas de Delta-8 THC como uma ‘’crise em rápida expansão’’.

As vendas de produtos delta-8 THC representam uma ameaça competitiva para fabricantes e varejistas de cannabis licenciados e regulamentados, porque os fabricantes de delta-8 não precisam obedecer aos controles porque os marcadores de delta-8 THC nao tem abide por dispendiosas qualidade controles de qualidade e padrões de segurança impostos às empresas licenciadas.

Mas isso não quer dizer que os riscos para a saúde pública por empresas licenciadas não sejam infundados. 

Embora os esforços para legalizar e regularizar a cannabis ‘’ devem abranger Delta-8 THC,’’ afirmou o relatório do Conselho da Cannabis, ‘’o fato de estar sendo vendida fora do mercado regulamentado com supervisão ou teste e estar disponível para crianças é alarmante, e apresenta um risco de saúde pública de impacto potencialmente mais amplo do que a crise de vapor.’’ 

É preciso ter cuidado

Os riscos de comprar um produto de Delta-8 THC não licenciado podem variar de simples fraude de potência até hospitalização e morte. Os riscos de comprar um produto derivado deste composto não licenciado podem variar de simples fraude de potência até hospitalização e morte, pelo menos no caso de produtos de vapor. 

Em 2019, mais de 2.700 usuários de THC adoeceram após inalar óleo de vitamina E usado como espessante de óleo em cartuchos não licenciados do mercado ilícito.

Pelo menos 68 pessoas morreram após contrair VAPI, ou EVALI, uma doença pulmonar fatal causada pela inalação de óleo de vitamina E vaporizado. 

É por isso que cientistas, produtores, técnicos de laboratório, outros especialistas e até mesmo alguns vendedores dirão a mesma coisa: CUIDADO!

O que esses produtos possuem?

Em abril de 2021, uma equipe de pesquisa apoiada pelo Conselho de Cannabis dos EUA comprou uma variedade de produtos de THC delta-8 não licenciados de lojas de varejo não regulamentadas na Califórnia, Flórida, Nevada, Texas, Michigan, Massachusetts, Carolina do Norte e Indiana.

Dos 16 produtos testados pelos Laboratórios ProVerde em Massachusetts, nenhum estava em conformidade com o limite legal de 0,3% de THC especificado na lei agrícola de 2018.

Segundo o relatório, muitos dos produtos continham compostos não permitidos pela lei estadual em produtos de cannabis regulamentados. Esses compostos incluíam os metais cromo, cobre, níquel e chumbo.

Além disso, muitas das amostras continham traços residuais de solventes (os produtos químicos usados ​​no processo para separar o delta-8 THC do cânhamo) em níveis não seguros para inalação humana. Esses solventes incluem, por exemplo, hexano, metanol, diclorometano, acetato de etilo, heptano, acetona e isopropanol.

Referências

  • Leafly

Bruno Oliveira

Tradutor e produtor de conteúdo do site Cannalize, apaixonado por música, fotografia, esportes radicais e culturas.

Mais Notícias