• 28 de fevereiro de 2021

O potencial do canabidiol como antibiótico

 O potencial do canabidiol como antibiótico

Uma equipe de cientistas da Austrália descobriu que o canabinoide foi capaz de matar bactérias até resistentes a antibióticos.

Cientistas australianos do Instituto de Biociência Molecular da Universidade de Queensland descobriram pela primeira vez, propriedades antibióticas no canabidiol (CBD), componente da cannabis que não gera efeitos psicoativos.

Publicada nesta semana no Comunications Biology, o estudo feito mostrou que a substância foi capaz de matar algumas bactérias, como gonorreia, meningite e doenças do legionário (tipo grave de pneumonia).

Um marco importante, uma vez que os antibióticos atuais não são capazes de tratar a infecção causada pela bactéria Neisseria gonorrhoeae, que causa a Gonorreia.

Segundo a Associação Paulista de Medicina, estima-se que 500 mil pessoas se infectem com esta bactéria todos os anos.

Em parte porque é fácil transmiti-la, como através do beijo, por exemplo.

No entanto, ela é difícil de ser tratada, pois desenvolve uma membrana externa extra, que gera resistência aos antibióticos.

Como funciona

O canabidiol se mostrou capaz de penetrar uma ampla gama de bactérias, como a causadora da doença.

O trabalho do CBD é estourar a membrana das células externas das bactérias, mas entender exatamente como isso funciona ainda é um mistério.

“Esta é a primeira vez que o canabidiol demonstrou matar alguns tipos de bactérias Gram-negativas. Essas bactérias têm uma membrana externa extra, uma linha adicional de defesa que torna mais difícil a penetração dos antibióticos”.

A fala foi do líder do estudo, Dr.Mark Blaskovich, em uma declaração publicada pela universidade. Ele é líder do estudo.

Desarmando o inimigo

O estudo também demonstrou que o CBD foi capaz de agir em um número maior de bactérias Gram-positivas, incluindo algumas resistentes a antibióticos.

Como por exemplo, a MRSA (Staphylococcus aureus) que pode causar meningite e pneumonia e é resistente à meticilina.

O Dr. Blaskovich acrescentou que o canabidiol também é particularmente bom para quebrar biofilmes, uma espécie de proteção viçosa feita com acúmulo de bactérias que pode ser encontrada nos dentes, por exemplo.

Os biofilmes também são uma ótima proteção para a MRSA, onde ela pode se esconder e sobreviver ao tratamento com antibióticos.

Resistência

Uma das características das bactérias estudadas é a capacidade de criar resistência aos antibióticos.

Sabendo disso, o canabidiol também foi testado para entender se a Neisseria gonorrhoeae ou a MRSA causaria um efeito semelhante.

“O canabidiol mostrou uma baixa tendência de causar resistência em bactérias, mesmo quando aceleramos o desenvolvimento potencial aumentando as concentrações do antibiótico durante o ‘tratamento’.” Esclareceu o Dr. Baskovich em sua declaração.

Outras bactérias

A equipe da universidade australiana também foi além. Eles perceberam que análogos, químicos, o CBD criado com uma pequena mudança celular, poderiam ser úteis para o combate de outras bactérias.

O professor diz que este é um grande avanço, pois desde a década de 1960 não houve mais classes moleculares de antibióticos para tratar gram-negativas.

A descoberta também foi comemorada pela farmacêutica Botanix, parceira no estudo. O vice-presidente executivo da empresa, Vince Ippolito, considerou a pesquisa como um vasto potencial para o combate ao crescente número de bactérias resistentes a antibióticos.

Os resultados clínicos da fase dois do estudo podem sair ainda no começo do ano. 

“Agora que estabelecemos que o canabidiol é eficaz contra essas bactérias Gram-negativas, estamos examinando seu modo de ação, melhorando sua atividade e encontrando outras moléculas semelhantes para abrir o caminho para uma nova classe de antibióticos.” Concluiu o Dr. Blaskvoich na declaração. 

 

Avatar

Tainara Cavalcante

Jornalista e produtora de conteúdo no Cannalize. Amante de literatura, fotografia e conteúdo de qualidade.

Mais Notícias