• 27 de outubro de 2020

Novos estudos com a cannabis mostram resultados promissores para quimioterapia

 Novos estudos com a cannabis mostram resultados promissores para quimioterapia

Os resultados preliminares de um estudo feito na Austrália indicam que a cannabis medicinal pode ser benéfica na redução de náuseas e vômitos causados por quimioterapia.

Houve evidências científicas reais e significativas para sugerir isso, mas quanto mais evidências baseadas na ciência, melhor para defender que a cannabis pode ser usada em um ambiente clínico.

Um estudo da CannabisCINV foi financiado por um investimento de US $ 2 milhões do governo do estado de Nova Gales do Sul, na Austrália e envolve pesquisadores da Universidade de Sydney, Chris O’Brien Lifehouse e o NHMRC Clinical Trials Center.

O recrutamento de pessoas para o teste começou há quase quatro anos e essa fase durou por 2,5 anos.

Cerca de 81 pacientes foram incluídos no estudo, que foi um ensaio controlado de um processo chamado de fase II. Todos esses participantes já haviam tido experiências com náuseas e vômitos durante a quimioterapia, apesar deles terem tomado antieméticos, medicações que previnem náuseas.

A mistura de cápsulas contendo 2.5mg de tetrahidrocanabinol (THC) e 2.5 de canabidiol (CBD) aos antieméticos padrões ajudou a diminuir as náuseas e vômitos. Cerca de 25% não tiveram experiências com vômitos e náuseas, comparado com 14% dos pacientes que tomaram um placebo.


Apesar de haver alguns efeitos colaterais ao usar cannabis medicinal, como sedação, tontura ou desorientação, muitos pacientes preferiram THC e CBD ao invés de placebo. Não houve situações adversas associadas com o tetrahidrocanabinol e o canabidiol  em cápsulas.

“Náuseas e vômito estão entre as mais angustiantes e temidas consequências da quimioterapia” disse o investigador do teste e  professor associado Peter Grimison.

“Esses resultados encorajadores indicam que a cannabis medicinal pode ajudar a melhorar a qualidade de vida dos pacientes que passam por quimioterapia.”

O estudo recrutou 170 pacientes para completar sua ingestão total para a análise de grupo paralela de fase 2. 

Isso trará mais certeza em relação ao uso de cannabis medicinal no tratamento de vômitos e náuseas relacionados a quimioterapia e se ela deve ser considerada uma opção rotineira em pacientes com câncer. 

Referência

  • Hemp Gazette

Bruno Oliveira

Tradutor e produtor de conteúdo do site Cannalize, apaixonado por música, fotografia, esportes radicais e culturas.

Mais Notícias